A PRESENÇA DE DEUS: Nossa Maior Necessidade

0
779

Apresença de DEUS, a Nossa Maior Necessidade

Êxodo 33.15

Nos dias atuais, marcado pelo materialismo, o homem trocou Deus por suas bênçãos, porém a nossa maior necessidade, não são as bênçãos de Deus, mas  a presença de Deus.

No texto de êxodo 33 podemos contemplar a visão de Moisés sobre a importância da presença de Deus. Israel havia pecado construindo o bezerro de ouro, e Deus ficou irado com o povo, se afastando do meio deles por causa da desobediência. Quando Moisés desceu do monte viu o mal que o povo praticara, deixando de adorar ao Senhor para adorar um bezerro.

Então disse o Senhor a Moisés que o anjo iria adiante do povo, mas Moisés disse ao Senhor: “Se a tua presença não vai comigo, não nos faça subir deste lugar”. Com base em êxodo vamos aprender algumas lições.

1-O PECADO NOS AFASTA DA PRESENÇA DE DEUS (Êx. 32.9,10,30-35; 33.4,5)- Quando Moisés subiu ao monte para falar com Deus e passou quarenta dias e quarenta noites na presença de Deus, o povo ficou impaciente e pensando que Moisés não retornaria, e fizeram para si um ídolo ( Êx 32.1,2), e isso entristeceu ao Senhor de tal maneira que ele não queria mais  caminhar no meio do povo (Êxodo 33.5).

Deus ao libertar o seu povo da escravidão do Egito, escolheu para ser um povo santo. Agora pense na tristeza de Moisés, guiar aquele povo sem a nuvem do Senhor, sem a coluna de fogo, sem a presença dos sinais visíveis da presença do Deus. Ele entendeu a gravidade do problema que seria conduzir aquele povo sem a presença de Deus.

O pecado provoca a ira de Deus, faz ele se afastar do meio do seu povo, e como consequência escraviza o homem e o leva para a morte. Por isso podemos contemplar Moisés clamando a misericórdia do Senhor ao interceder pelo povo diante de Deus (Êx. 32.11-24, 30-35; Dt 9.25-29).

Como é triste quando o povo de Deus desobedece, aquele que o libertara da escravidão do pecado. Meu irmão não podemos brincar com o pecado, mas precisamos nos afastar de tudo aquilo que tenta nos afastar de Deus.

O profeta Isaías nos diz que a mão do senhor não está encolhida para que não possa salvar, surdo o seu ouvido para que não possa ouvir. “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”(Isaías 59.1,2).

Portanto, se você está vivendo em pecado arrependa-se e clame pelas misericórdias do Senhor, como Moisés fez pelos filhos de Israel, porque só no Senhor a perdão e verdadeira restauração.

2-NADA PODE SUBSTITUIR A PRESENÇA DE DEUS (Êx. 33.2-17) 

Deus prometeu enviar o seu anjo adiante do povo. Eles viram o mal que praticaram, ouvindo o que Deus falara, pratearam e tiraram seus atavios ( Êx. 33.4,5).

É interessante observarmos que Deus prometeu a Moisés enviar o anjo, lhe dar vitórias sobre os seus inimigos e a terra que manava leite e mel. Alguém poderia dizer está bom Senhor, mas o que é um anjo comparado com o Senhor Deus todo-poderoso criador e sustentador do universo? Os anjos são apenas seres criados por ele. Deus prometeu vitória sobre os inimigos de Israel, mas o que são as vitórias sem a presença de Deus? O que é a terra que mana leite e mel sem a presença de Deus? Ah! Como hoje a igreja precisa entender que a nossa maior necessidade é de Deus.

Durante o segundo período de quarenta dias e quarenta noites com Deus no monte Sinai, Moisés suplicou por seu povo e pediu ao Senhor que lhes restaurasse suas bênçãos prometidas.

Moisés lembrou o Senhor de sua promessa de acompanhar o povo em sua jornada. Além disso, quando a nação cantou louvores a Deus perto do mar Vermelho, regozijou-se na promessa da presença vitoriosa de Deus (Êx 15:13-18). Deus iria voltar atrás em sua palavra?

Os israelitas eram o povo de Deus, e Moisés era servo do Senhor. Não queriam que um anjo os acompanhasse, pois não havia nada de excepcional nisso. O que distinguia Israel de outras nações era o fato de seu Deus estar presente com eles, e foi isso o que Moisés pediu. Seu coração deve ter saltado de alegria quando ouviu Deus comprometer-se a acompanhar o povo e a conduzi-lo ao lugar de descanso que havia lhe prometido.

Contudo, pela graça de Deus, Moisés alcançou seu propósito: Deus prometeu ir com o povo, mostrou a Moisés um vislumbre de sua glória e perdoou os pecados de Israel. Moisés pôde voltar para o acampamento com as tábuas da lei e dizer ao povo que Deus havia perdoado os pecados de Israel.

As suas bênçãos sem a sua presença conosco em nosso viver, não tem sentido, ficamos vazios. Quantas pessoas tem bens matérias, tais como: casas luxuosas, carros, dinheiro, etc. mas são vazias, secas, sem esperança, sem amor sem vida, mesmo estando vivas.

O profeta Ageu advertiu o povo de Israel dizendo que a prioridade da nação deveria ser o Templo do Senhor, não casas luxuosas ( Ag. 1.1-11). Assim como o Tabernáculo o Templo era símbolo da presença de Deus para Israel. Jesus nos ensina que o reino de Deus deve ter a primazia em nossas vidas.

O mestre Jesus nos ensinou dizendo: “Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas ” Mt.6.33(NTLH).Nada pode substituir a presença de Deus em nossa vida neste mundo.

3- PORQUE DEUS ERA E É A RAZÃO DA EXISTÊNCIA DO SEU POVO  (Gn. 12.1-9; 22; 32.27,28; 35.9-12; Êx. 12.1-51; 13.17-22; 40.34-38; Nm 9.15-23) 

O Livro de Êxodo começa com Moisés vendo a glória de Deus na sarça ardente (Êx 3:1- 5) e termina com a glória de Deus descendo sobre o acampamento e enchendo o tabernáculo. A presença da glória de Deus no acampamento de Israel não era um luxo, era uma necessidade.

Ela identificava Israel como povo de Deus e separava-o das outras nações, pois o tabernáculo era consagrado pela glória de Deus (Êx 29:43, 44). Outras nações possuíam construções sagradas, mas eram vazias. O tabernáculo de Israel era abençoado com a presença da glória de Deus.

A glória:  a presença de Deus HABITANDO NO MEIO DO POVO (Êx 34:29-35; 39:32 – 40:38).Israel precisava evidenciar a glória de Deus em seu viver. Quando aqueles que não conheciam a Deus olhava para o povo de Israel, podia ver a presença da glória de Deus. A presença de Deus habitava no meio do povo.

Moisés conhecia a história dos seus pais,  de maneira maravilhosa podemos ver ele dizer: “Não é, porventura, em andares conosco, de maneira que somos separados, eu e o teu povo, de todos os povos da terra? (Êx. 33.16b). Todo o contexto histórico nos mostra que a razão da existência de Israel era o Senhor Deus.

Quando olhamos para a Palavra de Deus podemos ver Deus chamando Abraão do meio de sua parentela, lhe dando um filho Isaque, transformando Jacó em Israel e resgatando os seus descendentes da Escravidão do Egito tão somente pela sua graça.

A presença de Deus era indispensável para Israel continuar existindo, pois ele era o verdadeiro sentido da vida da nação. Sem a presença de Deus, as vitórias sobre os inimigos, a terra prometida, não teriam sentido. O principal alvo de Moisés não era uma terra que manava leite e mel, mas uma terra santa onde Deus estaria presente com o seu povo. Pois a presença de Deus fazia de Israel um povo diferente das demais nações.

Meus irmãos, assim como Moisés, hoje nós precisamos entender que a nossa maior necessidade é de Deus, pois somente com Ele nós podemos viver de forma diferente, caminhar desfrutando de sua comunhão e proteção no meio deste mundo que mais parece um deserto desafiador. Ele é o Deus vivo, poderoso! o Deus presente que nos dá força para viver (Isaías 41.10).

O evangelho da graça, nos ensina que ele está conosco, pois ele é o Deus Emanuel (Mt 1.23), e que sem ele nada podemos fazer (Jo 15.5), mas com ele nós somos mais que vencedores (Rm 8.37).

Portanto, a igreja hoje, precisa ter esta consciência, que muito mais do que bênçãos de Deus, nós precisamos da presença de Deus em todos os momentos da nossa vida, porque sem ele não adianta você ter vitórias, casas luxuosas, fazendas, carros, filhos, etc. Ele é a razão do nosso viver. Ele é o nosso Salvador. Sem ele, a vida não tem sentido, é isso que as sagradas escrituras nos ensinam. Hoje, a nosso maior necessidade é da presença de Deus em nossas vivadas, porque só assim poderemos viver para honra e glória dELe.

Autor: Eli Vieira é formado pelo Seminário Presbiteriano do Norte e Pastor efetivo da Igreja Presbiteriana Semear de Itabuna-BA.

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here