As Provações Ensinam

0
214

Tiago 1:2-4

Muitas vezes somos surpreendidos por situações que nos levam ao desespero. Sentimo-nos indefesos, impotentes e inseguros. Então entendemos o trabalhar de Deus, sua mão poderosa conduzindo toda a situação.

Devemos ter fé em meio as provações.

Tiago, líder da igreja de Jerusalém, escreve para as 12 tribos da dispersão, gente que estava vivendo no vale do sofrimento, perdendo seus bens e sua liberdade. Para esses irmãos que enfrentavam perseguições, Tiago traz uma palavra de encorajamento.

Em primeiro lugar, as provações são necessárias: Tiago escreveu: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações” (v.2). Passar pelas provações não significa ausência do amor de Deus. Ser provado não é falta de fé nem imaturidade espiritual. Provação é diferente de tentação. O inimigo nos tenta para nos enfraquecer; Deus nos prova para nos fortalecer. O inimigo nos tenta para nos derrubar; Deus nos prova para nos transformar. Por meio do sofrimento, Deus vai nos aperfeiçoando e nos tornando semelhantes a Cristo, que sofreu mas foi vencedor. Devemos ter fé em meio as provações.

Em segundo lugar, as provações são diversas: Tiago diz que os crentes passam não por poucas, mas por “várias provações”, mas após termos a “fé confirmada, produz perseverança.” (v.3) Há provas amenas e provas severas. Há provas leves e provas pesadas. Há diversas tonalidades de provas. Para cada prova, entretanto, há uma graça especial de Deus que nos capacita a enfrentá-la. Deus não nos prova além de nossas forças. Com a prova, Deus provê também o livramento, o refrigério. Deus transforma essas situações em bênçãos para nós. Podemos afirmar, com convicção inabalável: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Rm.8:28). Devemos ter fé em meio as provações.

Em terceiro lugar, as provações da vida são passageiras: As provas vêm e vão, e nós prosseguimos em nossa jornada rumo ao reino de Deus. “A perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros” (v.4). Cruzamos desertos bem quentes, descemos a vales escuros, escalamos montanhas íngremes e atravessamos pântanos perigosos, mas, mesmo sangrando nesse caminho estreito, marchamos rumo a bem-aventurança eterna. Nós nos alegramos não por ficarmos nas provas, mas por passarmos por elas. Devemos ter fé em meio as provações.

Mesmo que sejamos surpreendidos por situações que nos querem derrubar, nos fazer indefesos, impotentes e inseguros, não vivemos debaixo do rolo compressor das circunstâncias irremediáveis. Nossa vida é governada pelas mãos daquele que está assentado no trono e governa todo o universo. Alegramo-nos não no sofrimento da prova, mas na convicção de que Deus está no controle de toda e qualquer situação e utilizará até mesmo a nossa dor para o nosso bem final. Devemos ter fé em meio as provações.

Deus nos abençoe.

Sobre o autor:

Rev. Jadson Azevedo da Cunha, casado com Nilena Ratis Cavalcanti da Cunha, pai de Luísa e Vitória.Pastor da Igreja Presbiteriana Ebenézer, Bom Conselho-PE e professor do IBN, Garanhuns-PE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here