Cristão e sua família são torturados no Egito, após serem acusados de conversão forçada

0
840

Homem Egípcio. (Foto: Ilustrativa/Global Christian Relief)

A família de Boutros* foi interrogada, insultada, espancada e torturada com eletricidade.

Egito é um país de maioria muçulmana onde os cristãos representam apenas 10% da população. Boutros* é um jovem cristão de uma pequena aldeia no Alto Egito, que sofreu violência e perseguição.

Recentemente, ele e sua família cristã foram presos e torturados pela Segurança Nacional, o que os levou a se deslocar de sua aldeia. 

“Em 2019, meu irmão mais velho, Samuel, se casou com Christine, que já foi muçulmana, mas se converteu ao Cristianismo. Depois de se casarem, eles deixaram o Egito e se mudaram para o exterior, onde formaram uma família”, disse ele ao Global Christian Relief.

Recentemente, a segurança recebeu informações sobre a conversão de Christine ao Cristianismo. E no dia 12 de fevereiro de 2024, eles invadiram a casa da família de Boutros e prenderam ele, seu pai e seu irmão mais novo.

“Fomos interrogados. Fomos insultados e muito maltratados, até torturados com eletricidade. Nos interrogaram sobre o meu irmão e a sua esposa e queriam saber o seu paradeiro. Eles acusaram meu irmão de forçar a mulher a se converter ao cristianismo e falsificar a certidão de casamento, mudando seu nome para um nome cristão”, contou ele.

E continuou: “Meu pai estava muito cansado e não suportava a tortura, chegando a desmaiar de vez em quando. Eu e meu irmão ficamos com muito medo por ele, porque ele é mais velho e diabético. Não tínhamos certeza se voltaríamos para casa”.

Liberados da prisão

Tempo depois, a polícia os liberou. Porém, eles foram forçados a abandonar a sua casa na aldeia. 

“Durante todo o tempo em que estivemos presos, oramos para que Deus nos fortalecesse, nos protegesse, protegesse meu pai e nos salvasse. Oramos para que fôssemos libertados da prisão. Deus olhou para a nossa fraqueza e respondeu às nossas orações, e fomos libertados”, testemunhou o cristão.

“O que é doloroso para nós agora é que fomos deslocados de nossa casa. Mas, mesmo em meio ao deslocamento, estamos louvando ao Senhor. Agradecemos muito a Deus por atender nossas orações, cuidar de nós e proteger nosso pai doente. Todo agradecimento e glória sejam para Ele”, acrescentou.

A missão Global Christian Relief afirmou que a história de Boutros e sua família perseguida no Egito, é um “exemplo de fé resiliente apesar das circunstâncias difíceis”.

“Pedimos a Deus que forneça cura e conforto e os guie enquanto encontram um novo lugar para morar”, afirmaram eles.

E concluíram com o versículo bíblico de Tiago 1:2-4, que diz: 

“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, porque vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. Deixe a perseverança terminar o seu trabalho para que você seja maduro e completo, sem faltar nada”. 

O Egito ficou em 38º lugar na Lista De Observação Mundial De 2024 da missão Portas Abertas dos 50 países onde é mais difícil ser cristão.

*Nome alterado por motivo de segurança.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE GLOBAL CHRISTIAN RELIEF

RETIRO IP SEMEAR 2023
Artigo anteriorQUEM É ESCOLHIDO, NÃO TEM ESCOLHA
Próximo artigoPedro, Um homem Transformado para Servir
Pastor Eli Vieira é casado com Maria Goretti e pai de Eli Neto. Responsável pelo site Agreste Presbiteriano, Bacharel em Teologia, Pós-Graduado em Missiologia pelo Seminário Presbiteriano do Norte, Recife-PE e cursando Psicologia na UNINASSAU. Exerce o seu ministério pastoral na Igreja Presbiteriana do Brasil desde o ano 1997 ajudando as pessoas a encontrarem esperança e salvação por meio de Jesus Cristo. Desde a sua infância serve ao Senhor, sendo educado por seus pais aos pés do Senhor Jesus que me libertou e salvou para sua honra e glória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here