Cristão em Gaza relata os horrores do Hamas: “Vemos, ouvimos e sentimos a guerra”

0
340

Cenas da guerra entre Israel e Hamas. (Captura de tela/YouTube CNN Brasil)

“Parece que a nossa casa vai cair, é um terremoto constante. Tentamos abraçar nossos filhos e acalmá-los do medo e do terror”, disse o cristão local

guerra violenta entre Israel e Hamas, que teve início no último sábado (7), com ataques massivos vindos de Gaza, tem causado sofrimento e medo nas famílias israelenses e palestinas.

brutalidade dos terroristas já impactou centenas de vidas inocentes. A Portas Abertas compartilhou conversas que teve com os cristãos que estão vivenciando os horrores causados pelo grupo extremista islâmico: “Vemos, ouvimos e sentimos a guerra”.

“Minha família e eu sentimos medo e ansiedade por causa dos intensos bombardeios. Parece que nossa casa vai cair, é um terremoto constante. Tentamos abraçar nossos filhos e acalmá-los do medo e do terror, mas muitas vezes não conseguimos por causa do impacto dos mísseis”, disse um cristão local. 

‘Não conseguimos imaginar o que está por vir’

“Estamos vivendo uma situação muito difícil e incompreensível em Gaza. Não conseguimos imaginar o que está por vir. Explosões e destruição por toda a parte e os gritos das crianças por causa do intenso bombardeio”, continuou o cristão que vive em Gaza.

“Há um forte medo do futuro e de que não haja um lugar seguro em Gaza. A humanidade perdeu sua essência e, por um instante, parece que as portas dos Céus estão fechadas para essa cidade pobre e miserável”, disse ainda.

Conforme o cristão, só o que há em abundância é o sangue: “É o preço que pagamos para continuarmos vivendo. Em Gaza, tudo parece sombrio”.

‘A guerra é diferente do que imaginávamos’

De acordo com o cristão, a guerra é bem diferente do que imaginavam: “Não podemos dormir há dois dias por causa das várias bombas lançadas à noite”.

“Oramos para que a guerra termine em breve e que o Senhor dê provisão às nossas necessidades, especialmente nesse período. Que nós possamos refletir a luz e o amor de Jesus nesse período de total escuridão em Gaza”, disse.

Até o momento, conforme a organização, não houve notícias de cristãos mortos ou feridos durante os bombardeios em Gaza. O cristão que conversou com parceiros da Portas Abertas é apenas 1 entre os 800 cristãos palestinos de diferentes denominações.

As igrejas cancelaram os cultos do final de semana por causa da guerra e dos bombardeiros. A Portas Abertas convoca os cristãos do mundo todo a orarem pelas pessoas em Israel e nos Territórios Palestinos.

Conforme o Gazeta do Povo, o Ministério da Saúde local afirmou que 2.700 pessoas morreram desde o início dos conflitos entre Israel e Hamas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA GAZETA DO POVO E PORTAS ABERTAS

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here