Cristãos entram clandestinamente no Afeganistão para ajudar após terremoto

0
371

Terremoto matou mais de 1.000 no Afeganistão. (Foto: FMI)

Eles relatam dificuldades de agir no Afeganistão após Talibã, que considera os cristãos apóstatas e sujeitos às consequências mais mortais da Sharia.

Após o domínio do Talibã no Afeganistão, organizações cristãs que prestam ajuda humanitária só conseguem entrar no país clandestinamente e por meio de comboios. Esse é o caso da FMI, que atua tentando a evacuar cristãos em risco.

O Talibã considera os cristãos apóstatas e sujeitos às consequências mais mortais da Sharia.

Nesse contexto, muitos ministérios que trabalham com a igreja subterrânea local perderam contato com suas redes e parceiros no país.

De acordo com a Mission Network News (MNN), o Afeganistão tem muito pouco em termos de uma igreja organizada. Muitas comunidades cristãs são extremamente secretas e permanecem na clandestinidade devido à opressão e perseguição generalizadas.

A FMI relata que o Talibã está de olho nos cristãos, até enviando cartas ameaçadoras avisando-os para não se encontrarem.

Cristãos agem secretamente no Afeganistão para ajudar comunidade. (Foto: MNN)

“Um homem recebeu uma carta dizendo que sua casa agora pertence ao Talibã”, disse Nehemiah ao MNN. “Ele é um homem simples que faz artesanato e todas as suas economias estão em sua casa. O Talibã tomará a propriedade e os bens dos cristãos.”

Nos últimos 15 anos, a FMI serve à igreja clandestina no Afeganistão. Eles mantêm quatro esconderijos para os crentes. É um lugar difícil de viver entre desastres, pobreza e violência extremista. Mas Nehemiah muitas vezes também ouve histórias surpreendentes do Evangelho desta região.

Terremoto

Agora, a situação está ainda pior, com o terremoto de magnitude 5,9 que matou mais de 1.000 pessoas e feriu outras milhares, no sudeste do Afeganistão.

Os piores danos ocorreram em regiões remotas e montanhosas perto da fronteira com o Paquistão. O número de mortos e feridos provavelmente aumentará, pois a área tem telecomunicações e meios de comunicação de vítimas não confiáveis.

Nehemiah estima que o número de mortos pode chegar a 10.000 pessoas. “Porque não há equipes de operações de resgate de emergência disponíveis no Afeganistão. As pessoas estão vivendo muito remotamente nas aldeias. Não há acesso ou estradas pavimentadas. Estive em algumas áreas onde você não consegue encontrar nenhum hospital por cerca de 10 horas.”

Em uma área, 17 pessoas da mesma família morreram porque sua casa desabou. Uma autoridade local disse que 25 aldeias foram completamente destruídas, incluindo mesquitas e escolas.

desastre também afetou os parceiros da FMI na região. “Perdemos três homens da mesma família que estavam fora por motivos de trabalho. Eles eram crentes e faziam parte de nossa igreja clandestina no Afeganistão. Por favor, orem por suas famílias. Por favor, orem pela situação”, diz Nehemiah.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHVN E ICC

RETIRO IP SEMEAR 2023
Artigo anteriorDESAFIOS DO PLANTADOR DE IGREJA
Próximo artigoExército incendeia igreja cristã em Mianmar
Pastor Eli Vieira é casado com Maria Goretti e pai de Eli Neto. Responsável pelo site Agreste Presbiteriano, Bacharel em Teologia, Pós-Graduado em Missiologia pelo Seminário Presbiteriano do Norte, Recife-PE e cursando Psicologia na UNINASSAU. Exerce o seu ministério pastoral na Igreja Presbiteriana do Brasil desde o ano 1997 ajudando as pessoas a encontrarem esperança e salvação por meio de Jesus Cristo. Desde a sua infância serve ao Senhor, sendo educado por seus pais aos pés do Senhor Jesus que me libertou e salvou para sua honra e glória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here