Cristãos na Noruega defendem Israel em comício histórico contra o antissemitismo

0
173
Manifestação cristã pró-Israel em frente ao parlamento norueguês (Foto: International Christian Embassy Jerusalem – ICEJ)

A filial norueguesa da Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém organizou a manifestação em Oslo.

Centenas de cristãos na Noruega realizaram uma manifestação em apoio a Israel e contra o antissemitismo, desencadeado em meio à guerra de Israel contra a organização terrorista Hamas.

A manifestação, considerada histórica para o país escandinavo, aconteceu em frente ao parlamento nacional em Oslo.

O evento foi organizado pela filial norueguesa da Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém (ICEJ).

Tradicionalmente marcado por um forte apoio a organizações palestinas, como a OLP (Organização para a Libertação da Palestina) e posteriormente a Autoridade Palestina (AP), a Noruega viu a participação de várias denominações cristãs, incluindo membros das igrejas luterana, católica e pentecostal.

“Foi uma demonstração histórica de apoio cristão a Israel em nossa nação devido à ampla participação de líderes e organizações cristãs. Nada parecido jamais aconteceu durante minha vida”, afirmou Dag Øyvind Juliussen, diretor nacional da ICEJ-Noruega.

Antissemitismo crescente

A manifestação cristã pró-Israel também pediu uma maior ação para enfrentar e combater o crescente antissemitismo global.

Em uma declaração conjunta, as denominações cristãs manifestaram tristeza pelo massacre de israelenses ocorrido em 7 de outubro, assim como pela crescente incidência de antissemitismo no mundo.

“Estamos abalados pelo ataque a Israel em 7 de outubro, e é com profunda tristeza que testemunhamos a guerra contínua e o aumento global do antissemitismo e do ódio em relação aos judeus. Como cristãos, sentimos uma responsabilidade especial em defender nossos irmãos judeus, especialmente considerando a história da igreja, marcada por sentimentos antijudaicos e perseguição. Não podemos permanecer em silêncio diante dessa realidade”, dizia a declaração conjunta.

Os cristãos pró-Israel também manifestaram sua oposição à organização terrorista Hamas, condenando sua ideologia antijudaica e a carta que preconiza a erradicação do Estado judeu.

“O antissemitismo é um elemento significativo na guerra entre Israel e o Hamas. As declarações do Hamas de que desejam repetir o 7 de outubro uma e outra vez até que Israel deixe de existir demonstram a ideologia antissemita fundamental do Hamas, conforme expresso em suas cartas de 1988 e 2017. Condenamos veementemente tais declarações. O elemento antissemita na guerra e no conflito entre Israel e o Hamas não pode ser ignorado ou esquecido.”

Preservação da vida judaica

Abordando os desafios locais na Noruega, os grupos cristãos apelaram aos responsáveis para que intensifiquem os esforços na proteção das instituições judaicas e na preservação da vida judaica no país mais ao norte da Europa.

Atualmente, cerca de 2.000 judeus residem na Noruega, um país pouco povoado, com uma população total de aproximadamente 5,5 milhões, ocupando uma área ligeiramente maior que o estado do Novo México.

Em 1947, a Noruega apoiou o Plano de Partição da ONU, que propunha a divisão do Mandato Britânico da Palestina em um estado judeu e um estado árabe. No entanto, após a Guerra dos Seis Dias em 1967 e a subsequente administração israelense sobre a Judeia e Samaria, internacionalmente conhecida como Cisjordânia, o governo norueguês tornou-se cada vez mais crítico de Israel, especialmente em relação à política de construção de comunidades judaicas nos territórios disputados de Jerusalém.

Judeus e árabes

Na década de 1990, a capital da Noruega desempenhou um papel fundamental no Processo de Paz de Oslo, que buscou, sem sucesso, resolver o conflito no Oriente Médio entre judeus e árabes na Terra Santa.

Em 2022, Israel criticou a decisão da Noruega de rotular os produtos exportados de comunidades judaicas na Judeia e Samaria.

“Esta decisão não contribuirá para o avanço dos laços entre Israel e Palestina e terá um impacto negativo nas relações bilaterais entre Israel e Noruega, bem como na relevância da Noruega para promover as relações entre Israel e os palestinos”, declarou o Ministério das Relações Exteriores de Israel.

No mês passado, Israel e a Autoridade Palestiniana concordaram que os fundos congelados, arrecadados por Israel em nome da Autoridade Palestina, seriam transferidos para um fundo fiduciário norueguês. Esses recursos serão exclusivamente destinados à administração na Cisjordânia controlada pela Autoridade Palestina, e não para a Faixa de Gaza, que é governada pelo Hamas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO ALL ISRAEL NEWS

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here