Declínio de membros: 400 prédios de igrejas históricas devem ser vendidos na Escócia

0
823
Lundie Kirk, construída em estilo românico no século 12. (Foto: Facebook Historic Church Scotland)

Secularismo dominante ameaça prédios históricos com mais de 1.000 anos e seus ‘tesouros’ de serem vendidos.

Cerca de 400 edifícios da Igreja da Escócia estão destinados ao descarte e outras denominações, como a Presbiteriana, também enfrentam a venda de edifícios como resultado do declínio de membros.

São prédios históricos sendo muitos utilizados ​​como locais de culto continuamente desde antes da Reforma Protestante, remontando à era medieval.

De acordo com o The National, agora há uma corrida para salvar não apenas alguns dos edifícios, mas também itens culturalmente significativos contidos em muitos deles, como púlpitos, fontes e estátuas.

Púlpito de Igreja Histórica. (Foto: Facebook Historic Church Scotland)

“Há uma crise nas igrejas na Escócia que vai além daqueles que vão à igreja no domingo de manhã”, disse o Dr. DJ Johnston-Smith, diretor do Scottish Churches Trust.

Ele lançou um apelo aos voluntários para gravar o conteúdo dos prédios antes de fecharem.

PUBLICIDADE

“Em St. Fillans, por exemplo, a igreja tem 900 anos. Há quanto tempo [o prédio] é usado como um centro comunitário e sabemos hoje, durante a crise do custo de vida, a importância desses edifícios. O bem-estar que eles proporcionam vai muito além da religião e acho que esse é o choque que vai causar nas comunidades”, justificou.

“As nossas comunidades perderam os seus bancos, os seus correios, as suas bibliotecas e os seus pubs e agora a igreja é o último edifício comunitário em pé. Cada um destes edifícios tem valor para as suas comunidades e, se forem fechados ao público, irão ser um grande choque.”

Herança cultural

Kilbirnie Auld em Ayrshire é um dos edifícios em risco. Ele tem painéis de madeira “impressionantes” dos séculos XVII e XVIII, relata Johnston-Smith.

“É um edifício incrível de importância nacional”, disse. Para tentar preservar o prédio, uma petição foi lançada pela comunidade.

Johnston-Smith disse que embora a maioria das igrejas não necessariamente contenha tais painéis, elas ainda são “repositórios de uma herança cultural única que é significativa para a história da Escócia”.

Ele explica que itens insubstituíveis contidos em Lundie Kirk em Angus, que datava do século 12, já foram perdidos, após prédio ter sido devastado por um incêndio em novembro, após ser vendido no ano passado por £ 40.000 (aproximadamente R$ 250 mil).

Lundie Kirk foi a igreja paroquial de Lundie, Angus, na Escócia, do século 12. (Foto: Wikipedia/Creative Commons)

Johnston-Smith diz que o interior com painéis de madeira decorado com homenagens ao almirante Adam Duncan, que liderou a derrota da frota britânica sobre os holandeses na Batalha de Camperdown em 1797, foi destruído.

“Cerca de 1.000 anos de história coletiva naquela igreja se foram”, disse Johnston-Smith.

Sete kirks listados em Fife também estão sob ameaça, incluindo a histórica Abadia de Culross do século 13, que apareceu no drama de viagem no tempo Outlander.

Diz-se que foi construído no local de uma comunidade cristã primitiva que incluía St Mungo, apresenta as ruínas de um mosteiro cisterciense e contém a abóbada de Sir George Bruce, um visionário nascido em 1550 que desenvolveu um sistema altamente inovador de mineração de carvão na Vila.

Apelo da comunidade

Um apelo para que a abadia seja salva como um “lugar sagrado e especial que recebe visitantes de todo o mundo” foi feito pelo conselho da comunidade.

Eles enviaram uma carta aos curadores de Kirk declarando “consternação” com o plano e disse que o prédio “não deveria ser descartado de forma a privar o público de seu significado sagrado, benefícios e história”.

No entanto, os planos de descarte, que devem ser finalizados em breve pelos presbitérios de toda a Escócia, significariam que os edifícios seriam vendidos o mais rápido possível, dando às comunidades pouco tempo para formular propostas viáveis ​​de compra.

Um exemplo é o do Old West Kirk em Greenock, a primeira igreja presbiteriana a ser construída na Escócia após a Reforma. Os planos para a comunidade comprá-lo fracassaram, mas ele foi comprado por um empresário que prometeu preservar o prédio e continuar a deixá-lo desempenhar um papel na vida da comunidade.

De uma igreja negligenciada, a Igreja St Margaret’s passou a ser um espaço artístico e comunitário, explica seu site.

“St Margaret’s Trust oferece um programa variado e emocionante de eventos ao longo do ano, incluindo concertos, exposições, palestras, passeios, mercados de agricultores e workshops”.

Igreja St. Margaret’s Braemar. (Foto: Facebook Historic Church Scotland)

Mas a preservação não é o caso de centenas de outros edifícios e os itens que eles contêm que poderão ser perdidos, vendidos ou danificados quando os edifícios forem descartados.

“É por isso que a Scotland’s Churches Trust está trabalhando com a Historic Environment Scotland em uma iniciativa nacional para recrutar e apoiar voluntários em todo o país que ajudarão a registrar o conteúdo dessas igrejas, antes que o prédio feche e esses itens sejam perdidos e espalhados para sempre”, disse Johnston-Smith.

No entanto, mesmo que as igrejas não tenham valor histórico ou detenham artefatos preciosos, continuam a ser vistas como bens valiosos pelas comunidades, sublinhou.

“Às vezes, eles são os únicos marcos permanentes construídos que alguns de nós, frequentadores regulares da igreja ou não, conhecemos durante a maior parte, senão toda, de nossas vidas”, disse Johnston-Smith.

Servindo à comunidade

As igrejas não são usadas apenas para batismos, casamentos ou funerais ocasionais, elas também servem à comunidade em muitas localidades para festas, cafés da manhã, clubes e reuniões.

Igrejas históricas ainda servem à comunidade. (Foto: Facebook Historic Church Scotland)

“Hoje, agora mesmo, existem igrejas em todo o país operando como bancos de alimentos e aquecimento durante esta crise de custo de vida que define a geração. Isso apenas destaca ainda mais a necessidade contemporânea desses espaços comunitários vitais”, disse Johnston-Smith.

Em Shetland, 19 igrejas já fecharam e mais fechamentos estão planejados. Em Islay e Jura, onde há um total de seis igrejas, incluindo a icônica Igreja Redonda, não há ministro da Igreja da Escócia e os cultos são conduzidos por secretários de sessão com o ministro batista e substitutos clérigos preenchendo sacramentos como o batismo.

“Pelo menos dois deles provavelmente estarão fechando e posso ver o resto se você estiver contando com voluntários que podem ficar exaustos. Isso é o que estamos vendo em todo o país”, disse Johnston-Smith.

nterior da St Peter’s Church, Eastside, South Ronaldsay. (Foto: Facebook Historic Church Scotland)

Ele reconheceu que o Kirk, ao longo de muitos anos, tentou tornar muitos de seus edifícios sustentáveis, mas a queda no número de membros cobrou seu preço, com o fechamento de dois anos dos edifícios devido à pandemia, acelerando seus passivos de custo.

“A menos que as congregações encontrem uma maneira de reconectar esses edifícios à comunidade, eles não podem ser sustentáveis”, disse ele.

Plano de Missão

Um “Planos de Missão” está nas mãos dos presbitérios da Igreja da Escócia de todo o país, que foram encarregados de elaborar planos para conservar seus recursos de contratação, identificando edifícios que podem ser vendidos. Mas a dificuldade de escolher qual salvar significa que o prazo do final do ano passado teve que ser prorrogado.

“Este é um planejamento de missão para tornar a igreja mais forte, mas um senso de lugar é importante e deve ser reconhecido – e, no momento, temo que não esteja sendo reconhecido”, disse Johnston-Smith.

“Estamos presos aos lugares que sempre conhecemos e quando isso é tirado é muito difícil nos reconectarmos. As pessoas não entendem por que sua igreja está fechando e, infelizmente, estão desistindo de sua igreja porque não estão preparadas para viajar para outro prédio”.

Consulta pública em nome dos Administradores Gerais da Igreja da Escócia, na Igreja Lundie, uma das Igrejas Históricas da Escócia. (Foto: Facebook Historic Church Scotland)

Um porta-voz da Igreja da Escócia disse que “a Assembleia Geral de 2021 da Igreja da Escócia instruiu os presbitérios a concluir um Plano de Missão até o final de 2022 como parte de um programa abrangente de reformas para equipar a Igreja para os desafios da missão cristã nos próximos anos.

“A Igreja possui milhares de propriedades, muito mais do que o necessário para cumprir nossa missão de compartilhar as boas novas de Jesus Cristo e servir nossas comunidades locais”, disse.

“A mudança nos padrões populacionais junto com a queda do número de membros, menos pessoas treinando para o ministério e uma redução nas contribuições financeiras significam que é necessário reduzir o número de edifícios que possuímos”, justificou.

“Reconhecemos que os edifícios da igreja têm significado e valor para as comunidades locais, por isso sabemos que algumas dessas decisões serão difíceis. No entanto, os planos de missão considerarão o que é melhor para toda a área do presbitério”.

“Alguns dos nossos edifícios também são de importância nacional e local”, afirmou.

Sepultura do comentarista bíblico e ministro escocês John Jamieson. (Foto: Facebook Historic Church Scotland)

“No caso de tais propriedades, incluindo edifícios listados como ‘A’ que não são mais considerados adequados para o culto, os curadores gerais trabalharão em estreita colaboração com as partes interessadas para determinar o melhor futuro para esses edifícios”.

“Embora os curadores gerais não possam ser vistos como uma ‘sociedade patrimonial’ e tais edifícios não possam ser retidos indefinidamente, eles sempre procurarão lidar com eles de maneira sensível e apropriada”, explicou.

O porta-voz disse ainda “a maioria dos presbitérios já concluiu seus planos de missão e os presbitérios restantes estão trabalhando diligentemente para concluir seus planos nas próximas semanas”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO THE NATIONAL

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here