Estado Islâmico mata 11 cristãos em Moçambique

0
211

Militantes massacram cristãos no vilarejo de Naquitenge (foto representativa)

O grupo extremista assumiu a responsabilidade pelo ataque no Norte do país

Militantes do grupo extremista Estado Islâmico invadiram o vilarejo de Naquitenge no dia 14 de setembro. O local fica no distrito de Mocímboa da Praia, no Norte de Moçambique


“Quando chegaram, os militantes convocaram uma reunião com toda a comunidade. As pessoas do vilarejo não sabiam que eles eram terroristas. Depois da reunião, os cristãos foram separados dos muçulmanos, com base no nome de cada um, e então eles atiraram nos cristãos”, disse um contato local, que perdeu o sobrinho no ataque, à agência de notícias portuguesa Lusa.  


Massacrados
 


Outra vítima, cujo parente conseguiu escapar do ataque, contou que “eles massacraram as pessoas com tiros. Algumas ficaram feridas, mas fugiram para a floresta. Foi o ataque mais perverso de que já ouvimos falar”. 


Relatórios iniciais afirmaram que 11 pessoas foram mortas, mas, segundo Ricardo (pseudônimo), um parceiro local da Portas Abertas, 12 cristãos foram assassinados no ataque. “Cinco mulheres cristãs estavam amarradas e presas em uma casa. Os jihadistas incendiaram o local. Todas as mulheres morreram e a casa ficou completamente destruída”, conta Ricardo.  


“Outros sete cristãos foram atingidos pelos tiros e morreram imediatamente. Além deles, outras pessoas ficaram feridas ou fugiram para a floresta”, acrescenta. O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo ataque por meio de canais de mídia dos extremistas.  


Retaliação às forças armadas
 


O Ministro da Defesa de Moçambique disse aos jornalistas que a morte pode ter sido uma retaliação pela execução do líder do grupo extremista e de dois líderes eméritos da organização pelas Forças Armadas em agosto deste ano.  


A luta entre os extremistas e as Forças Armadas de Moçambique, apoiadas por tropas militares regionais, já ceifou a vida de milhares de pessoas e tornou mais de um milhão de vítimas em deslocados internos. Ao menos dois milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária emergencial nas áreas de conflito. 


Desde 2017, o grupo extremista islâmico Ahlu-Sunnah wal Jama’ah, aliado do Estado Islâmico, vem causando insurgências na província de Cabo Verde. A região, no Norte de Moçambique, é conhecida por ser rica em recursos.  


Dada a situação crítica, os Estados Unidos impuseram recentemente sanções à organização terrorista e a seus líderes. Cristãos são vítimas de assassinatos, sequestros e da destruição de igrejas e outras propriedades, segundo especialistas da Portas Abertas. O país está entre os 50 países mais perigosos para cristãos da Lista Mundial da Perseguição 2023, saindo do 41° lugar, em 2022, para 32°, em 2023.  


Ajuda emergencial para cristãos perseguidos 


Em meio a ataques, cristãos perseguidos perdem acesso a itens de necessidade básica como alimentos, água e roupas. Com uma doação, você permite que nossa família na fé receba a ajuda de que precisa nos locais com necessidade mais urgente. Ajude! 

Fonte: Portas Abertas

RETIRO IP SEMEAR 2023
Artigo anteriorCONFERÊNCIA AVIVA SERTÃO
Próximo artigoVeja quem são os líderes cristãos na lista ‘Amigos de Israel 2023’
Pastor Eli Vieira é casado com Maria Goretti e pai de Eli Neto. Responsável pelo site Agreste Presbiteriano, Bacharel em Teologia, Pós-Graduado em Missiologia pelo Seminário Presbiteriano do Norte, Recife-PE e cursando Psicologia na UNINASSAU. Exerce o seu ministério pastoral na Igreja Presbiteriana do Brasil desde o ano 1997 ajudando as pessoas a encontrarem esperança e salvação por meio de Jesus Cristo. Desde a sua infância serve ao Senhor, sendo educado por seus pais aos pés do Senhor Jesus que me libertou e salvou para sua honra e glória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here