Evangélicos ucranianos sofrem tortura e destruição de igrejas pela Rússia

0
949

Igreja cristã em Chernihiv, Chernihiv Oblast, Ucrânia. (Foto ilustrativa: Unsplash/Anzhela Bets)

Cristãos ucranianos relatam histórias de perseguição pelas mãos das forças russas.

Defensores da liberdade religiosa relataram que os cristãos na Ucrânia foram submetidos à tortura, à destruição de suas igrejas e a outros horrores pelas mãos das forças russas. Eles apelaram os líderes republicanos a tomarem conhecimento dessa situação.

Richard Land, ex-presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa, se juntou com diversos defensores para enviar uma carta ao presidente da Câmara, Mike Johnson. Na carta, eles pediram a Johnson que tivesse em mente os cristãos perseguidos ao considerar os esforços para apoiar a Ucrânia.

Segundo a carta, o governo russo tem prejudicado os cristãos ao torturá-los e ao remover à força pastores de seus cargos. Eles acrescentam que os soldados russos têm como alvo os pastores batistas reformados que não são vistos como “pró-Rússia” e que são suspeitos de apoiar o Ocidente.

Land, que também atua como editor executivo do The Christian Post, e os demais defensores da liberdade religiosa ressaltaram na carta que não restou nenhuma igreja batista na cidade ucraniana de Melitopol.

“Desejamos a paz. Mas mais do que isso, desejamos uma paz baseada nos princípios da justiça”, afirma em parte a carta. “Nosso Deus é perfeitamente justo e autor da paz perfeita.”

“Apreciamos a sua liderança e oramos pela sua sabedoria e coragem ao considerar o apoio à Ucrânia”, concluiu o documento.

Ajuda humanitária

Steven Moore, presente na Ucrânia desde o início da guerra para fornecer ajuda, alertou que o tratamento dos cristãos pelas mãos das forças russas representa uma ameaça subnotificada.

Moore é o ex-chefe de gabinete do ex-deputado republicano Pete Roskam de Illinois e fundador do Ukraine Freedom Project, uma organização sem fins lucrativos que ele estabeleceu após o presidente russo Vladimir Putin declarar guerra à Ucrânia em 2022.

A organização já providenciou mais de US$ 1 milhão em ajuda para as linhas de frente, incluindo suprimentos médicos, alimentos, geradores, bancos de energia e drones.

Em entrevista ao Christian Post, Moore disse que encontrou repetidamente cristãos ucranianos que relataram histórias de perseguição pelas mãos das forças russas.

Enquanto prestava ajuda humanitária na Ucrânia, Moore teve a oportunidade de conhecer um homem chamado Victor, um cristão que anteriormente serviu como pastor evangélico.

“Se você sabe alguma coisa sobre os cristãos evangélicos na Ucrânia, é que eles são muito abertos sobre a sua fé”, disse Moore.

‘Demônios’

Victor relatou ao fundador da organização sem fins lucrativos que foi mantido em cativeiro por mais de 20 dias e torturado com tasers elétricos durante um conflito armado entre a Rússia e a Ucrânia em 2014. Ele disse a Moore que, durante esse período de tortura, um padre ortodoxo russo tentou exorcizar os supostos demônios que, segundo ele, residiam em Victor por ele ser evangélico.

Através de sua amizade com Victor, Moore começou a conhecer outros cristãos que enfrentavam perseguição.

Um outro amigo de Moore, Mark Sergeyev, é o pastor de jovens da Igreja Cristã de Melitopol, que foi fechada pelas forças russas em 2022. Na mesma cidade, os membros da Igreja Batista Grace foram submetidos a identificação biométrica depois que soldados russos, completamente equipados para o combate, interromperam um culto de adoração.

Igrejas cristãs foram alvo de ataques de forças russas. (Foto ilustrativa: Unsplash/Yana Hurska)

No verão passado, Moore informou ao CP que se dedicou a compartilhar histórias de cristãos perseguidos em territórios ocupados pela Rússia com membros do Congresso e líderes de opinião republicanos. De setembro de 2023 a janeiro, Moore afirmou ter visitado cerca de 100 escritórios do Congresso em Washington, DC, para discutir o tratamento dado pela Rússia aos cristãos.

“Os republicanos deveriam saber disso. Os republicanos evangélicos deveriam saber disso”, disse Moore. “Pessoas que adoram a Deus da maneira que o fazem estão sendo torturadas e assassinadas por causa de sua fé.”

Perseguição aos cristãos

Segundo o antigo chefe de gabinete, dezenas de pessoas com quem se encontrou disseram que as contas pessoais eram “informações reveladoras” para eles, e muitos funcionários do Congresso chegaram a chorar. Moore disse ao CP que a perseguição aos cristãos na Rússia não está sendo suficientemente divulgada.

Um dos motivos pelos quais Moore disse que muitos não ouviram essas histórias é o rígido controle de informações na Ucrânia.

O fundador da organização sem fins lucrativos também culpou especialistas e comentaristas sociais como Tucker Carlson como outro fator que impede as pessoas de saberem o que se passa com os cristãos nos territórios ocupados pela Rússia.

Moore afirma que a Ucrânia não está perseguindo os cristãos.

“Não é verdade”, disse Moore. “É uma narrativa russa, e o que essas pessoas estão fazendo é encobrir a verdade real de que os russos estão reprimindo centenas de milhares de cristãos evangélicos nos territórios ocupados.”

Entretanto, várias outras pessoas condenaram a repressão da Ucrânia às igrejas, entre elas a colunista Hedieh Mirahmadi do PC, que advertiu sobre a perseguição de padres e fiéis da Igreja Ortodoxa Ucraniana depois que a agência de segurança interna da Ucrânia [SBU] iniciou uma operação de contra-espionagem contra a UOC.

Desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, o governo de Zelensky intensificou suas ações contra as igrejas e líderes da UOC, resultando na prisão de 68 padres e do Metropolita Pavel.

Em um artigo de opinião publicado na National Review em janeiro, Nina Shea, advogada de direitos humanos e diretora do Centro para a Liberdade Religiosa do Instituto Hudson, um grupo de reflexão conservador com sede em Washington, afirmou que a estratégia da Ucrânia para reprimir o que considera ser instituições religiosas “armadas” pode ser extrema, mas é justificada.

Segundo Moore, muitos cristãos evangélicos afirmam que a atual ocupação russa é ainda pior para eles do que quando viviam sob a União Soviética.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here