Formatura em igreja é interrompida e cristãos são detidos na China

0
566

Cristãos em culto na Early Rain Covenant Church. (Foto: Ilustrativa/Facebook/Pray for Early Rain Covenant Church).

A cerimônia ocorreu na Early Rain Covenant Church, que sofre há anos com a perseguição do governo chinês.

No dia 28 de outubro, a polícia interrompeu uma cerimônia de formatura e levou cristãos, na província de Sichuan, na China.

A invasão ocorreu na cerimônia de formatura do “Workers’ College” (“Faculdade dos Trabalhadores”) da Early Rain Covenant Church, onde mais de 30 membros da igreja participavam do evento. 

PUBLICIDADE

Segundo o ChinaAid, às 10 horas da manhã, policiais do Escritório de Segurança Política (anteriormente conhecido como Segurança do Estado) e do Escritório de Religião Civil entraram no local de repente. Mais de 20 pessoas, incluindo policiais e funcionários comunitários, interromperam a cerimônia declararando a reunião ilegal.

Seis cristãos foram levados para a delegacia de Cao Shi Jie: Elder Yingqiang Li, Shuqi Ding, Xuewei Jia, Yingshi Liu, Benli Li e Bo Nie. 

A polícia levou outros três para a delegacia de Xiyouhe do Distrito de Qingyang, incluindo Hao Guiru, Shu Qiong e o Pastor Caleb Zhang.

De acordo com a China Aid, até o momento, cinco cristãos do sexo masculino foram levados ao Huangtianba Case Center para interrogatório. 

O contexto da igreja 

A Early Rain Covenant Church é uma igreja doméstica na China continental. A congregação é liderada pelo pastor Wang Yi e defende a visão de adorar a Deus em público. 

A organização “Prisoners of Conscience Fellowship” promoveu um período de oração pelo país, de 12 de maio a 4 de junho, como a “Oração pelo Mês da Nação”. Isso aumentou a visibilidade da igreja para o governo. 

Em momentos específicos, as reuniões públicas de oração da congregação foram frequentemente impactadas por policiais que impediam a entrada dos crentes na porta do templo. 

Em outros casos, as autoridades vigiavam as casas de membros importantes para proibi-los de sair. 

O pastor Wang Yi foi detido em sua residência. No entanto, ele viu isso como uma oportunidade de evangelizar a polícia.

Luta pela liberdade religiosa 

Em agosto de 2018, Wang Yi iniciou “Uma Declaração em Prol da Fé Cristã” em resposta à implementação do novo Regulamento de Assuntos Religiosos (RAR) pelo governo chinês.

Wang Yi encorajou os pastores locais que apresentassem declarações públicas de suas crenças e se recusassem a assinar os novos regulamentos. 

Segundo a ChinaAid, o pastor chegou a pedir publicamente a Xi Jinping, o mais alto chefe de estado da China, que se arrependesse de perseguir os cristãos.

No dia 9 de dezembro de 2018, foi o quarto aniversário da repressão da Early Rain Covenant Church, também conhecida como repressão “129”. Mais de cem anciãos e membros da igreja foram presos. 

Na ocasião, o pastor Wang Yi foi preso e acusado de “incitar a subversão do poder do estado” e “operações comerciais ilegais”. O governo chinês o condenou a nove anos de prisão.

Desde a repressão há cinco anos, a polícia continua assediando a igreja. Os oficiais ficam do lado de fora das casas dos membros, os seguem, cancelam suas reuniões e os monitoram de perto. 

De acordo com a ChinaAid, no ano passado, as autoridades interromperam um casamento, forçando o local a cancelar a cerimônia no último minuto.

Apesar da opressão, os crentes continuam evangelizando e recebendo treinamento. Muitos cristãos e professores estrangeiros foram atraídos pela igreja e se mudaram para a região. 

O ChinaAid afirmou que esta pode ser a razão pela qual a cerimônia de formatura foi invadida.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHINAAID

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here