Homem perde família por causa de Cristo, mas ganha irmãos espirituais

0
322

Cristão ex-muçulmano conta como chegou a Jesus no Norte da África

Abdallah agradece a Deus pelos irmãos e irmãs que tem espalhados ao redor do mundo

Abdallah agradece a Deus pelos irmãos e irmãs que tem espalhados ao redor do mundo

A Portas Abertas contou a história de Abdallah*, de um país no Norte da África. Ele teve um encontro com Jesus a partir de um programa de televisão. Toda semana, assistia à programação cristã e após dois anos, decidiu ser um seguidor de Cristo. A esposa dele ouvia da cozinha e secretamente estava convencida de que o cristianismo era uma verdade. Um dia, ao assistir a outro programa Abdallah, viu um número de telefone local e fez contato, mas não teve resposta. Duas semanas mais tarde, ele recebeu uma ligação do pastor que viu na TV. Eles marcaram uma conversa e foi a primeira vez que encontrou um cristão. “Tomamos café juntos, conversamos e descobri que havia mais três cristãos no meu bairro. Ele pediu que essas pessoas viessem e eu conversei com elas”, explica.

Dois dias depois, Abdallah foi a uma igreja e sentiu que era um ambiente diferente, mas ficou à vontade lá. Uma das coisas que o impactaram foi a presença de pessoas de outras nacionalidades na reunião. “Vi estrangeiros que eram meus irmãos e irmãs. Eu me senti poderoso, não estava mais sozinho. Pessoas de outros países estavam comigo”, comemora. Além disso, o novo cristão recebeu uma Bíblia e começou a estudar e compará-la ao Alcorão. O resultado do crescimento espiritual era o forte desejo de propagar Cristo às pessoas ao redor: “Eu queria compartilhar minha fé com minha família. Mas eles recusaram, não queriam ouvir”, relembra.

Semanalmente o cristão ex-muçulmano e a esposa iam à igreja, que ficava a 30 quilômetros da casa deles. Ganharam livros para ajudar no crescimento espiritual e compartilhavam o conhecimento com algumas cunhadas e um cunhado. Faz 14 anos que Abdallah encontrou Jesus e não deixa de aproveitar as oportunidades de conhecê-lo mais. “É muito importante estudar e entender juntos. Se eu não entendo, pergunto aos outros. É sempre melhor estudar com as pessoas”, revela.

Apesar de viver em um país onde ser cristão não é algo fácil, Abdallah nunca pensou em voltar ao islã. “Eu sempre disse que, mesmo que eles estivessem colocando uma faca na minha garganta, eu não poderia dizer que Jesus não existe. Não posso ignorar Jesus, simplesmente não posso. Também acho impossível permanecer calado sobre minha fé”, testemunha.

Ele perdeu o contato com familiares por causa de Jesus e muitas vezes é tratado mal pelos vizinhos. Mas nada disso é capaz de tirar a alegria de ter Deus como pai. “Como perdi meus irmãos terrenos, Deus os substituiu por irmãos espirituais. Estou muito feliz por ter irmãos em todo o mundo. Não apenas dois ou três, tenho muitos na América, na Rússia, no Japão, em todo o mundo. Jesus está em todo lugar. Eles são meus irmãos, por isso eu sou rico. Aleluia!”

*Nome alterado por segurança.

Fonte: Portas Abertas

Artigo anteriorHomem achava que era o único cristão no Iêmen
Próximo artigoOs desafios de ser cristão secreto na Coreia do Norte
Pastor Eli Vieira é casado com Maria Goerretti e pai de Eli Neto. Responsável pelo site Agreste Presbiteriano, Bacharel em Teologia, Pós-Graduado em Missiologia pelo Seminário Presbiteriano do Norte, Recife-PE e cursando Psicologia na UNINASSAU. Exerce o seu ministério pastoral na Igreja Presbiteriana do Brasil desde o ano 1997 ajudando as pessoas a encontrarem esperança e salvação por meio de Jesus Cristo. Desde a sua infância serve ao Senhor, sendo educado por seus pais aos pés do Senhor Jesus que me libertou e salvou para sua honra e glória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here