James Theodore Houston (1845-1883)

0
61

 

Rev. James Theodore Houston

Missionário na Bahia, Rio de Janeiro e Santa Catarina; autor de hinos

Em julho de 1877, o Presbitério nomeou Houston para pastorear a Igreja do Rio ao lado de Dillwin M. Hazlett. Houston assumiu o posto em novembro e trabalhou com Hazlett até janeiro de 1879. Ficou sozinho até outubro de 1880, quando Antônio Bandeira Trajano veio ajudá-lo. Os dois obreiros trabalharam juntos até agosto de 1885. Durante a sua residência no Rio de Janeiro, Houston fez visitas pastorais a Ubatuba, Cruzeiro e outros locais. Foi o primeiro ministro presbiteriano a pregar em Ubatuba, onde se demorou cinco dias no início de 1880. No dia 4 de março, celebrou a Santa Ceia e recebeu nove pessoas por profissão de fé e batismo (a igreja foi formalmente organizada pelo Rev. Trajano no dia 28 de novembro). Houston foi também um dos redatores da Imprensa Evangélica.James T. Houston nasceu em Olivesburg, Ohio, em 1847, sendo seus pais Robert e Rebecca Houston. Obteve o seu bacharelado em artes no Lafayette College, Pensilvânia, em 1871. Em seguida, estudou no Western Theological Seminary, no mesmo estado, formando-se em 1874. Foi ordenado nesse mesmo ano pelo Presbitério de Wooster, Ohio. Enviados pela Junta de Missões Estrangeiras, ele e a esposa Nancy partiram de Nova York no dia 23 de novembro de 1874, chegando a Salvador em 16 de dezembro e a Cachoeira em 31 de dezembro, para colaborar com o Rev. Francis J. C. Schneider. Este havia chegado a Salvador em 1871, tendo organizado a igreja presbiteriana local no ano seguinte. Schneider e Houston organizaram a Igreja de Cachoeira em 12 de setembro de 1875. Foi arrolado pelo Presbitério do Rio de Janeiro em 3 de agosto de 1876 e pastoreou a Igreja de Salvador de junho a outubro de 1877.

Durante o seu pastorado, em setembro de 1879, houve uma famosa cisão na Igreja do Rio, com o afastamento do presbítero Dr. Miguel Vieira Ferreira e um grupo de simpatizantes, que formaram a Igreja Evangélica Brasileira. Outro episódio conhecido ocorreu em 1883, durante a 19ª reunião do Presbitério. Ao amanhecer do dia 31 de agosto, o Rev. Antônio Pedro de Cerqueira Leite, que estava hospedado na residência do Rev. Houston, faleceu subitamente vitimado por um enfarte. A primeira esposa do Rev. Houston, Nancy, faleceu em 1881. Em 25 de abril de 1883, ele casou-se em segundas núpcias, em São Paulo, com a missionária Sophie Amanda Dale, de 24 anos, que havia vindo para o Brasil em 1881 e ocupava o cargo de professora em Rio Claro. A cerimônia foi realizada no salão da Escola Americana, sendo oficiante o Rev. Robert Lenington e servindo como testemunhas Manoel da Paixão e a professora Elmira Kuhl. Sophie era irmã de Martha Dale, a esposa do Rev. Robert Lenington.

No dia 14 de agosto de 1884, na época em que se intensificava a luta abolicionista, Houston pregou na Igreja do Rio um sermão que demonstrava a incompatibilidade da escravidão com o ensino bíblico e a prática cristã, exortando os fiéis a se empenharem na libertação dos escravos e profetizando o fim próximo da escravidão. O sermão foi publicado no mesmo ano. Em agosto de 1885, o Rev. Houston regressou aos Estados Unidos, depois de onze anos de serviços no Brasil. Pastoreou igrejas em Laclede e Kirksville, no Estado de Missouri. Somente em 1892 o Presbitério do Rio lhe deu carta de transferência para o Presbitério de Palmyra, nos Estados Unidos. Em 1896, Adielah (Ada), sua filha do primeiro casamento, casou-se com o Rev. Roberto Frederico Lenington.

Em 1900, Houston veio novamente para o Brasil, indo trabalhar em Florianópolis, ao lado de seu genro, o Rev. Roberto F. Lenington. Fez trabalho itinerante no litoral catarinense e construiu o templo de São Francisco do Sul. Em companhia do Rev. Lenington, organizou a Igreja de Florianópolis em 6 de janeiro de 1901. Em novembro de 1902, retornou à sua pátria definitivamente, tendo trabalhado em duas igrejas da Califórnia e servido como missionário entre portugueses daquela região. Faleceu em Oakland, na Califórnia, em 21 de junho de 1929, aos 82 anos. Sua esposa veio a falecer menos de um ano depois, em 13 de maio de 1930.

James Houston colaborou com a hinologia evangélica do Brasil. Foi o organizador da Nova Coleção de Hinos Sagrados para Uso da Igreja Evangélica, publicada no Rio de Janeiro em 1881, contendo 29 hinos. No hinário Hinos Evangélicos e Cânticos Sagrados, publicado por John Boyle no Rio de Janeiro, em 1888, encontravam-se vinte e quatro hinos de Houston. Quando preparava o hinário, Boyle enviou o manuscrito a Houston, que o examinou cuidadosamente e forneceu muitas sugestões sobre diferentes aspectos da obra (disposição dos assuntos, escolha dos hinos, falhas de versificação e equívocos doutrinários). Além do hinário do Rev. Boyle, as letras de hinos de James Houston também figuram em conhecidos hinários atuais como Salmos e Hinos (12 hinos), Hinário Evangélico (8 hinos) e Hinário Presbiteriano Novo Cântico (6 hinos). Alguns dos seus hinos* mais conhecidos são “Louvamos-te, ó Deus, pelo dom de Jesus”, “Dirijo a ti, Jesus, minha oração”, “Ó vinde fiéis, triunfantes e alegres”, “Grande Deus, em paz agora”, “Vem, Senhor, do bem a fonte” e “Oh, vinde todos! Celebrai”.

Dr. Alderi Matos

© Alderi Souza de Matos – Instituto Presbiteriano Mackenzie – Usado com permissão

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here