Japoneses podem ser classificados como grupo de povos não alcançados, dizem missionários

2
284

As Olimpíadas no Japão têm o potencial de começar a mudar essa condição, ao abrir oportunidade de evangelismo no país.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA BPNEWS

Os missionários no Japão acham que é a hora certa para Deus se mover no país. (Foto: Reprodução/IMB)
Os missionários no Japão acham que é a hora certa para Deus se mover no país. (Foto: Reprodução/IMB)

Ao compartilhar o Evangelho com uma pessoa japonesa, há 99% de chances de que essa seja a primeira vez que ela ouve a mensagem da Palavra de Deus, dizem missionário da IMB.

Segundo grupo missionário americano, com essa estatística, o povo japonês pode ser classificado como um grupo de pessoas não alcançadas.

Eles dizem que esse fato pode ser uma surpresa para os que pensam em “grupos de pessoas não alcançados” como homens e mulheres vivendo em lugares remotos, como selvas ou desertos.

Em vez disso, dizem, os japoneses não alcançados costumam ser empresários trabalhando em arranha-céus e jovens adultos com conexão digital incomparável.

Com a proximidade das Olimpíadas do Japão, que acontecem em meados de 2020, os missionários veem uma “oportunidade sem precedentes de alcançar os japoneses com o Evangelho”. Eles dizem que o evento esportivo internacional pode deixar “o povo japonês cada vez mais aberto a ouvir sobre esperança e vida eterna”.

Essa possibilidade, está entusiasmando os cristãos e missionários japoneses que podem ver a história cristã no país ser mudada. Daniel e Tara Rice, missionários do IMB em Tóquio, esperam que as porcentagens daqueles que não ouviram o evangelho diminuam.

Resistência

Por que não há mais seguidores japoneses de Jesus? E por que tem sido tão difícil alcançar o japonês com o evangelho?

Carlton Walker, que trabalha no Japão há 40 anos, diz que o Japão é um país e uma cultura de homogeneidade. O isolamento geográfico do Japão manteve muitas influências externas. Isso não quer dizer que não houve influências externas. Parte do alfabeto japonês, o Kanji, veio da China, assim como o budismo.

No entanto, o domínio imperial japonês trouxe isolamento político por mais de 200 anos. A tradição ditava que as classes sociais mais baixas, como os pescadores, eram respeitadoras das mais altas, e as classes não se misturavam. As mudanças na sociedade foram mínimas.

Os japoneses têm um ditado famoso: “A unha que sobressai é martelada”. Esse medo de ser derrotado manteve o status quo. Manter a unidade e a uniformidade da cultura tem sido mais importante para eles.

Walker diz que os japoneses ouvirão apresentações sobre o Evangelho e, como muitas pessoas em culturas de honra / vergonha, não querem envergonhar a pessoa que compartilha o Evangelho, discordando delas. Isso pode fazer parecer que a pessoa que está ouvindo o Evangelho está interessada quando o oposto pode ser verdadeiro.

Walker explica que o método evangelístico ocidental de compartilhar que pecamos e precisamos nos arrepender não é eficaz no Japão. Mais eficaz é enquadrar o Evangelho como a vergonha de um relacionamento quebrado que precisa ser restaurado.

Embora a história e a cultura tenham sido obstáculos para o avanço do Evangelho, os missionários do IMB dizem que, sob o verniz da tradição e a cultura de honra e vergonha, um zelo religioso está esperando para ser revelado.

Era de restauração

Como na maioria das sociedades, o zelo e o fervor podem ser facilmente encontrados em festivais e eventos esportivos no Japão. Os Rices e Walker dizem que a atmosfera permite liberdade de expressão. Nessas ocasiões, os missionários dizem que os japoneses têm maior probabilidade de ouvir as apresentações do Evangelho.

Os Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio proporcionarão que missionários, crentes japoneses e voluntários cristãos falem sobre Jesus no Japão.

Nos últimos seis meses e nos meses que antecederam os Jogos Olímpicos de Verão de 2020, as igrejas dos Rices e do Japão estão realizando festivais comunitários. Os festivais contarão com jogos para a família, atividades, comida e apresentações do Evangelho. Voluntários das igrejas batistas do sul dos EUA são os principais parceiros nos festivais.

“Os festivais são vistos como um primeiro passo no discipulado”, disse Daniel. “Eles estão sempre conectados a uma igreja local, e nós encorajamos fortemente que a igreja local tenha algo planejado a seguir”.

Durante as Olimpíadas, as equipes missionárias se concentrarão no evangelismo através de coisas como uma cafeteria pop-up e troca de pinos olímpicos. O objetivo de cada esforço será compartilhar o Evangelho com japoneses e visitantes que possam ser mais receptivos à mensagem.

Após as Olimpíadas, as igrejas japonesas acompanharão as pessoas interessadas em ouvir mais sobre o cristianismo. O envolvimento de cristãos japoneses garante que o Evangelho não saia com os voluntários de curto prazo ou com os missionários do IMB quando os termos de serviço terminarem.

2 COMENTÁRIOS

  1. I blog frequently and I really thank you for your content.
    This article has truly peaked my interest. I am going to bookmark
    your site and keep checking for new details about once per week.
    I opted in for your RSS feed too.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here