Mãe enfrenta regime chinês após prisão de filhos cristãos: ‘Iria no lugar deles’

0
879

Cela de uma prisão. (Foto: Ilustrativa/Unsplash/Michael & Diane Weidner)

Li Xiuying pediu orações por sua família e afirmou: “Não posso aceitar isso”.

Na China, uma mãe condenou as atitudes do governo após a prisão de seus filhos sob falsas acusações.

Li Xiuying é cristã há 38 anos. Ela é mãe do pastor Wan Changchun — que foi preso no dia 11 de abril deste ano — e Wan Chunqin da Igreja Reformada Living Stone em Bengbu, província de Anhui. 

Recentemente, por meio de uma declaração, ela protestou contra as autoridades que acusaram seus filhos: “Não posso aceitar isso”. 

Ela afirmou que preferia ir presa em troca da liberdade dos filhos e pediu orações de outros cristãos.

Segundo a ChinaAid, Wan Changchun e Wan Chunqin foram detidos sob suspeita de “operação comercial ilegal”, mas foram presos por “fraude”. Agora, seus casos estão em fase de revisão do Ministério Público na Procuradoria Popular do Distrito de Yuhui, na cidade de Bengbu.

História de fé

No dia 31 de outubro deste ano, Li Xiuying declarou: “Eu tenho algo a dizer”, e compartilhou o testemunho de fé de sua família.

Ela relatou que antes de se converter, sua família passou por muitas dificuldades. Seu marido era viciado em jogos de azar, e por isso, ela cuidou dos filhos e precisou sustentar a casa.

“Quando eu estava num beco sem saída, Deus trouxe o Evangelho para mim através de minha mãe. Desde que me tornei crente, minha vida foi iluminada e nossa família encontrou esperança. Orei por meu marido durante cinco anos antes dele se libertar da escravidão do pecado e se voltar para Deus. Desde então, nossa família está cheia de alegria em Cristo”, disse ela.

Li contou que sua casa se tornou um local de encontro para os cristãos e ela e seu marido serviam ao Senhor juntos. 

“Tudo isso aconteceu naturalmente, sem aprovação ou permissão de ninguém. Aqueles que vêm à nossa casa para reuniões o fazem voluntariamente, tudo por causa de nossa fé em servir ao Senhor”, informou ela.

Acerca dos filhos

A cristã também compartilhou a história de seus dois filhos, Wan Changchun e Wan Chunqin, que apesar de viverem em um ambiente difícil, cresceram na fé.

“Changchun foi chamado pelo Senhor quando tinha 18 anos. Ele serviu a Deus enquanto estudava. Naquela época, a igreja não fornecia apoio, então Changchun vendeu grãos de soja para ganhar dinheiro. Ele está servindo ao Senhor há 25 anos, e mesmo enfrentando dificuldades, nunca desistiu”, disse a mãe.

Sobre a filha, Wan Chunqin, Li contou que ela criou dois filhos sozinha depois que o esposo faleceu de um ataque cardíaco há dois anos.

“Minha filha tinha acabado de passar pelo luto e agora está separada dos filhos. Os filhos perderam o pai e agora também perderam a companhia da mãe. Cada vez que penso nisso, fico extremamente angustiada”, observou ela. 

E continuou: “Com esta experiência, só posso orar e pedir a Deus que conforte o coração dos meus filhos. Se possível, eu desistiria da minha própria vida para poupá-los, mas sei que no fundo não é possível. Só posso olhar para o Senhor”.

De acordo com a ChinaAid, o marido de Li está com a saúde debilitada. No ano passado, ele sofreu um acidente de carro e ficou em coma por mais de vinte dias. Atualmente, devido a um acidente vascular cerebral, sua memória está falhando e sua coordenação física também foi afetada.

Em defesa da família e da liberdade religiosa

Na declaração, Li afirmou que não pode aceitar que seus filhos sejam acusados ​​de “fraude” por servirem ao Senhor: “É um insulto à nossa família”.

A cristã questionou as autoridades locais por usarem o registo da igreja como critério para julgar o que é legal e ilegal:

“Nossa família tem servido e recebido outras pessoas por muitos anos. Como é que agora, se a igreja não está registada, não podemos nos reunir, não podemos pregar, e se recolhermos ofertas voluntárias, isso se torna uma fraude? Como é que o registo se tornou a única forma de se qualificar para servir a Cristo?”.

“Estamos no final do outono e está ficando mais frio. Não sei como estão meus dois filhos na prisão. Só posso confiá-los ao Senhor e orar pela proteção deles”, acrescentou. 

A ChinaAid informou que o pastor está detido no Centro de Detenção da cidade de Bengbu. A Procuradoria Popular do Distrito de Yuhui da cidade de Bengbu é responsável pelos casos.

As autoridades chinesas utilizam acusações econômicas como “fraude” para processar pastores de igrejas domésticas, com o intuito de destruí-las. 

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHINAAID

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here