Marcas de uma Igreja Saudável

0
1616

Atos 2.1-47

Atos dos Apóstolos é o primeiro livro da história da igreja cristã, ele registra a caminhada da igreja de Jerusalém a Roma. Atos desenvolve o esboço traçado por Jesus, o Senhor da Igreja, quando disse aos seus discípulos: E recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judeia, Samaria e até aos confins da terra (1.8).

Atos é um livro para ser estudado não como uma história remota e distante, mas como um desafio presente. Atos é um manual sobre o crescimento saudável da igreja. Ele trata do crescimento espiritual e numérico da igreja. Para alcançar esse alvo, a igreja manteve, inseparavelmente, ortodoxia e piedade, doutrina e vida, palavra e poder. Ortodoxia sem piedade gera racionalismo estéril. Piedade sem ortodoxia produz misticismo histérico. Ao longo da história, a igreja várias vezes caiu num extremo ou noutro.

Ao estudarmos o livro de atos, podemos aprender algumas lições especiais para que possamos ser uma igreja saudável nesta atualidade desafiadora. Segundo o texto de atos 2.1-47 quero destacar três MARCAS DE UMA IGREJA SAUDÁVEL:

1- É CHEIA DO ESPÍRITO SANTO (Atos 2.1-13) – Lucas é o evangelista que mais enfatiza a obra do Espírito Santo na vida de Jesus e da igreja. O mesmo Espírito que desceu sobre Jesus no Jordão, guiou-o no deserto e revestiu-o com poder para salvar, libertar e curar (Lc 3.21,22; 4.1,14,18), agora vem sobre os discípulos de Jesus (At 1.5,8; 2.33). Nos capítulos iniciais de Atos, Lucas refere-se à promessa, à dádiva, ao batismo, ao poder e à plenitude do Espírito na experiência do povo de Deus.

Em atos 2 podemos ver a descida do Espírito santo (At. 2.1-4), “Cristo subiu, e o Espírito Santo desceu. O Cristo ressurreto ascendeu aos céus e enviou o Espírito a fim de habitar para sempre com a igreja”.O derramamento do Espírito Santo foi um fenômeno celestial. Não foi algo produzido, ensaiado, fabricado. Aconteceu algo verdadeiramente do céu. Foi incontestável e irresistível. Foi soberano, ninguém pôde produzi-lo. Foi eficaz, ninguém pôde desfazer os seus resultados. Foi definitivo, ele veio para ficar para sempre com a igreja.

O derramamento do Espírito foi um acontecimento audível, verificável, público, reverberando sua influência na sociedade. Esse impacto atraiu grande multidão para ouvir a Palavra.     

2- PREGA O PODEROSO EVANGELHO (2.14-41) – O milagre pode atrair a multidão, mas não toca os corações. O milagre abre portas para o evangelho, mas não é o evangelho. Pedro se levantou para pregar uma mensagem eminentemente bíblica. A primeira coisa que Pedro fez foi esclarecer que aquele fenômeno extraordinário não era resultado da embriaguez, mas do cumprimento da profecia de Joel (2.28-32).

Os tempos mudaram, mas Deus não mudou. As circunstâncias são outras, mas o evangelho é o mesmo. A forma de pregar pode ser repaginada, mas o conteúdo da pregação permanece inalterável. Não pregamos um Cristo que esteve vivo e agora está morto, mas o Cristo que esteve morto e agora está vivo. Pregamos o Cristo que padeceu por nossos pecados, mas triunfou sobre a morte e desbancou os principados e potestades na cruz. Pregamos o Cristo que ressuscitou e está assentado no trono; governa a igreja e tem as rédeas da história em suas mãos. Pregamos o Cristo que voltará em glória para colocar todos os seus inimigos debaixo de seus pés e reinar para sempre com sua igreja.

O evangelho é um só. Proclama a salvação pela graça mediante a fé, independentemente das obras. A salvação não é resultado da obra que fazemos para Deus, mas da obra que Deus fez por nós em Cristo Jesus, seu amado Filho.

3- VIVE DE FORMA DIFERENTE (2.42-47) – A vida de uma igreja saudável, é diferente. A igreja de Jerusalém conjugava doutrina e vida, credo e conduta, palavra e poder, qualidade e quantidade. Hoje vemos igrejas que revelam grandes desequilíbrios. As igrejas que zelam pela doutrina não celebram com entusiasmo. As igrejas ativas na ação social desprezam a oração.

Conforme atos, uma igreja saudável e cheia do Espírito Santo é comprometida com a fidelidade à Palavra de Deus (2.42), perseverante na oração (2.42), ora com fervor e constância, tem uma profunda comunhão (2.42,44-46). Na igreja de Jerusalém os irmãos gostavam de estar juntos (2.44), partilhavam seus bens (2.45), apreciavam estar no templo (2.46) e também nos lares (2.46b). Havia um só coração e uma só alma. Uma igreja saudável, adora a Deus com entusiasmo (2.47), Uma igreja viva tem alegria de estar na casa de Deus para adorar e teme a Deus e experimenta os seus milagres (2.43), tem a simpatia dos homens e a bênção do crescimento numérico por parte de Deus (2.47). Essa igreja é simpática e amável, tem qualidade e também quantidade. Cresce para o alto e também para os lados. A igreja crescia diariamente por adição de vidas salvas e por ação divina. Vejamos o crescimento da igreja em Atos: • Atos 1.15: 120 membros; • Atos 2.41: três 3 mil membros. • Atos 4.4: cinco 5 mil membros. • Atos 5.14: Uma multidão é agregada à igreja. • Atos 6.7: O número dos discípulos é multiplicado. • Atos 9.31: A igreja se expande para a Judeia, Galileia e Samaria. • Atos 16.5: Igrejas são estabelecidas e fortalecidas.

Portanto, quantas Igrejas têm perdido a sua autenticidade e o fervor do Espírito Santo, igrejas mornas sem vida, sem graça, sem unção, que não faz a diferença, igrejas sem fé e sem obras, igrejas sem testemunho. Como podemos ver, “Atos é um livro para ser estudado não como uma história remota e distante, mas como um desafio presente”, pois se queremos ser uma igreja saudável e relevante nesta atualidade, precisamos ser cheios do Espírito Santo, proclamar somente Jesus, porque o verdadeiro evangelho é firmado em Cristo e nos desafia a viver o que pregamos, assim veremos o reino de Deus crescer e a Palavra prevalecer para honra e glória dEle.

Pr. Eli Vieira

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here