Mulher que foi escrava sexual por 12 anos é restaurada por Deus: “Ele me deu propósito”

0
235

Joy Anderson testemunha sobre o poder de Deus. (Foto: Reprodução/CBN News)

Joy Anderson testemunha o poder de Deus para libertação de vícios e prostituição.

A cubana Joy Anderson foi adotada por uma família cristã quando ela tinha apenas dois meses de vida. Por estar em um ambiente saudável e amoroso, ela diz que sua infância foi repleta de risos e música. Inclusive, ela se destacou como pianista.

Mas as coisas mudaram quando ela entrou na adolescência e o piano tornou-se uma reflexão tardia, com Joy voltando-se para o álcool e a maconha, como uma forma de se encaixar entre seus colegas, ela diz. Durante esse tempo, ela abandonou sua casa e sua família. 

“Eu tinha entrado e saído da casa de várias pessoas porque era uma sem-teto. Eu não queria ir para casa porque não queria viver sob as regras deles”, lembrou Joy.

Aos dezessete anos, ela conheceu uma mulher enquanto estava em um clube, que a disse como poderia ganhar muito dinheiro rápido sendo uma prostituta.

“Ela sacou alguns milhares de dólares e, para alguém como eu, era muito dinheiro. Eu estava desesperada e vulnerável. Foi quase como, ‘Este é o momento perfeito. Eu preciso disso.’ Se você não se sente digno de ter uma família saudável, é quase como quando aquela escuridão chega até você e diz: ‘Aqui, damos as boas-vindas a você’. É como se você acreditasse em uma mentira. E foi o que aconteceu comigo. Eu definitivamente comprei uma mentira”, relembra.

Escuridão

Joy diz que sua “nova família” depois a apresentou ao crack e, posteriormente um “sucesso” enganoso, ela ficou imediatamente viciada e presa naquela situação.

“De repente, fiquei viciada naquilo. Eu sabia que precisava daquelas coisas para fazer o que quer que eles me dissessem. E [as drogas] também me ajudaram emocionalmente, então quando os homens chegavam, eu realmente não precisava estar lá. Porque eu não gostaria de estar lá. Ninguém faria aquilo. Você precisa cada vez mais ver uma clientela diferente. E os cafetões sabiam disso. Sim, foi quando estava ficando muito escuro”, relata.

“Já tive cafetões apontando armas para minha cabeça”, diz Joy. “Eu tive cafetões puxando fotos da minha família na internet e dizendo que eles fariam o que precisassem para me colocar na linha.”

Depois de vários anos terríveis de prisão aos vícios e traficada para a prostituição, Joy começou a sonhar com uma vida normal.

“Eu me lembro que o cafetão nos levou a um posto de gasolina uma vez em Charlotte, e eu vi uma mãe e um pai parando no posto de gasolina com seus filhos. E eles tinham uma minivan. Lembro-me de ver isso e de pensar que queria voltar a esse tipo de normalidade”, conta.

“Parecia tão longe da escuridão em que eu estava. Então, acho que tive pensamentos fugazes de que talvez pudesse sair. Mas quando você se sente tão acorrentado, sabe, de dentro para fora, é difícil pensar que você poderia realmente viver uma vida normal novamente”, reflete.

Desespero e clamor a Deus

Joy diz que embora quisesse fugir daquela vida, ela temia por represálias, por isso permaneceu acorrentada ao seu vício. Ao longo de doze anos, ela foi traficada por todos os Estados Unidos até que, em 2015, a realidade de seu vazio se transformou em desespero.

“Fui ao banheiro e me olhei no espelho. Eu não me reconheci. … E eu sabia que, por algum motivo, deveria ir a Deus. Eu simplesmente caí de cara naquele banheiro e clamei a Deus. E eu disse: ‘Se você me ouvir, me ajude. Eu quero sair.'”

O cafetão de Joy foi alvo de uma armação do FBI. Dois dias depois de clamar a Deus, Joy foi chamada a um quarto de hotel.

“Quando entrei e ele fechou a porta atrás de mim, lembro que me virei e olhei para ele, e ele puxou um colar, um longo colar com o distintivo. E eu fiquei tipo (suspirando), e dizia FBI. E ele disse: ‘Estamos fazendo uma operação de tráfico humano’, basicamente. E eu simplesmente desabei em lágrimas”, relembra.

Joy conta que os policiais levaram uma mulher para lá, e ela era uma defensora das vítimas do tráfico humano.

“E ela me disse: ‘Deus nos mandou aqui para dizer que Ele te ama e que esta é a sua saída. E se você entregar sua vida a Ele, Ele a libertará.’ E eu apenas berrei como um bebê. Ela me disse que eu tinha valor. Ela me disse que eu tinha valor. Ela me disse que Deus me criou para algo diferente disso. E ela me disse que Ele ia me tirar dessa escuridão. E quando ela disse tudo isso me fez pensar na oração que fiz no banheiro. Eu acreditei nela. Havia luz. Havia esta luz. Eu nem estou brincando. Havia uma luz saindo dela e eu sabia que era Deus.”

Vida para Jesus

Nos dois anos seguintes, Joy se livrou das drogas e entregou sua vida a Jesus. Ela começou a liderar a adoração em uma igreja local (usando o dom da música que ela tinha desde a infância).

“Minha vida está tão mudada. Tudo é completamente diferente. Às vezes eu – eu tenho calafrios agora porque penso na liberdade que tenho hoje. Eu não acordo ou saio da cama e não quero estar aqui. Quero estar aqui porque Deus me deu um propósito e eu O amo muito”, declara.

“Simplesmente muda tudo, apenas para adorar a Deus. Isso é tão bom. Nem mesmo apenas um sentimento, é como se eu soubesse que fui feita para fazer isso, é adorar a Deus para trazer glória a Ele”, testemunha.

A mensagem de Joy através de sua música é a mesma que ela recebeu daquela mulher no posto de gasolina, que falou de seu valor e do amor de Deus capaz libertar os cativos.

“Você tem valor. Você tem valor. Deus te ama muito. Você ainda está aqui por um motivo. Deus pode lhe dar uma nova vida. Ele pode libertá-la de qualquer corrente. Deus pode libertá-la e dar-lhe uma bela vida”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here