Pesquisa: Mais da metade dos americanos raramente vão à igreja

0
393

Imagem ilustrativa. (Foto: Unsplash/Kat Kelley).

Uma nova pesquisa da Gallup mostrou que o número dos que não vão ao culto é maior que a taxa daqueles que frequentam semanalmente ou mensalmente.

Uma nova pesquisa da Gallup, divulgada na segunda-feira (25), mostrou que a maioria dos americanos raramente ou nunca vão à igreja ou a outros locais de culto.

Mais da metade dos americanos (56%) afirmaram que raramente ou nunca participam das celebrações de sua fé.

O número dos que não vão à igreja é maior que a taxa daqueles que frequentam cultos semanalmente ou mensalmente (30%).

O estudo entrevistou fieis de diferentes religiões sobre a frequência aos serviços religiosos, nos Estados Unidos.

Entre os americanos que não seguem nenhuma religião, 95% respondeu que raramente ou nunca frequentam a igreja.

Mais da metade dos judeus, budistas, hindus e cristãos ortodoxos disseram o mesmo, que raramente comparecem.

No grupo dos religiosos mais ativos, os santos dos últimos dias (67%) são os que mais vão à igreja semanalmente, seguidos pelos protestantes (44%), muçulmanos (38%) e católicos (33%).

De acordo com os dados do estudo, a porcentagem de americanos que nunca frequentam a igreja mais do que duplicou desde o início da década de 1990. Já o número daqueles que raramente frequentam se manteve o mesmo.

Uma pesquisa da Gallup, feita em 1992, apontou que a taxa das pessoas que frequentavam o local de culto semanalmente (34%) era maior do que a do grupo que nunca frequentava (14%). 

Razões para o declínio da frequência

O editor sênior da Gallup, Jeffrey Jones, explicou os fatores que explicam a queda no número de frequentadores.

Ele citou a mudança de comportamento das novas gerações, em que os mais jovens estão menos propensos a se identificar com alguma religião ou terem sido criados em alguma fé.

“Se você foi criado em uma religião e se afastou, você pode voltar a ela. Os mais jovens, muitas vezes, não foram criados em nenhuma religião. Então eles não têm nada para voltar”, observou Jeffrey.

O declínio da fé também é percebida nas demais gerações, com os americanos se identificando como cristãos cada vez menos, levando a uma menor frequência nas igrejas.

Outro fator que contribuiu para o declínio da participação nos cultos, segundo Jeffrey, é a perda de fé nas instituições religiosas por parte dos americanos.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE RELIGION NEWS SERVICE

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here