Professora fala do impacto do avivamento de Asbury: ‘Os alunos continuam orando’

0
796

O avivamento na Universidade de Asbury já dura mais de 150 horas. (Foto: Instagram/Nick Hall).

Sarah Thomas Baldwin escreveu um livro que testemunha o ‘poderoso derramamento de Deus em Asbury’.

Uma professora que testemunhou as reuniões de avivamento na Universidade de Asbury no ano passado disse recentemente que “o derramamento realmente não parou”.

Sarah Thomas Baldwin, autora do livro a ser lançado sob o título “Geração Despertada: Um Relato Testemunhal do Poderoso Derramamento de Deus em Asbury”, falou à CBN News sobre os bastidores do avivamento de Asbury.

A escritora disse como vê os acontecimentos atuais e porque ela acredita que o impacto daquele avivamento ainda continua.

Tudo começou em um culto regular, em 8 de fevereiro de 2023, na capela da universidade e se transformou rapidamente em um fenômeno que muitos testemunharam como um verdadeiro avivamento.

Asbury oficialmente classificou o acontecimento espiritual como uma “manifestação”, destacando que o evento liderado por estudantes – que durou 16 dias consecutivos – “atraiu universitários de centenas de outras faculdades e universidades”, além de pessoas de todo o mundo.

Mesmo com o encerramento estruturado do evento, Baldwin observou que “quase não passava um dia” sem que ela ouvisse algo sobre como a manifestação que impactou pessoas em todo o mundo.

“É realmente emocionante”, disse ela. “E assim tem havido muitas histórias de pessoas de todo o mundo se conectando para compartilhar seus testemunhos.”

O derramamento continua

Baldwin observou que, em relação aos estudantes com quem ela trabalha, tem sido impactante testemunhar o “espírito de avivamento” que eles continuam carregando e os efeitos que Deus está operando em suas vidas por meio disso.

Sem dúvida, a manifestação em Asbury teve um impacto imediato e profundo no campus universitário cristão. Mas Baldwin ressaltou as maneiras poderosas e duradouras pelas quais a escola foi transformada.

“Imediatamente após a manifestação… nos meses de março e abril [2023], no final do semestre do ano passado, nosso campus estava realmente exausto”, disse ela. “Gosto de dizer que veio a enchente do derramamento e, quando as águas baixaram, havia alguns destroços na praia”.

E continuou: “Estávamos cansados ​​emocional, física e espiritualmente”.

Inicialmente, ela e outros questionaram sobre o que Deus poderia estar realizando. Embora ainda mantivesse seu entusiasmo pela manifestação, ela observou uma “sensação moderada” no campus.

Um fervor renovado

Meses depois, no outono, porém, ela disse que os alunos voltaram com energia e fervor renovados.

“Nossos alunos voltaram com esse espírito de reavivamento”, disse Baldwin. “E o que quero dizer com isso é ficar depois da capela para adorar e orar. Quero dizer, eles sempre fizeram isso um pouco, mas agora é apenas uma parte da nossa vida normal no campus.”

E não é só isso. Baldwin mencionou que cultos espontâneos ocorrem à tarde e à noite no campus, descrevendo essas atividades como um aumento na “temperatura espiritual de nossos alunos”.

Os jovens também têm falado com mais frequência sobre Jesus e “oram juntos de uma forma mais elevada”. Assim, o “espírito de avivamento” que tantos viram em fevereiro de 2023 voltou de forma poderosa.

O dia em que o derramamento estourou

Baldwin também refletiu sobre o dia em que o avivamento teve início, explicando como apenas compartilhar histórias sobre a manifestação de Asbury levanta seu ânimo.

“Em minha função como vice-presidente da vida estudantil, estou muito envolvido em nossa cultura e comunidade estudantil e realmente envolvido em nosso programa de capela e consegui estar no centro do que estava acontecendo desde o primeiro momento”, Baldwin disse.

“Naquela quarta-feira, 8 de fevereiro, os alunos demoraram-se depois da capela. Eu não pensei muito sobre isso. Isso acontece ocasionalmente no campus.”

No entanto, as coisas começaram a mudar à tarde, quando ela observou que mais estudantes começaram a se unir. De repente, toda a dinâmica do campus se transformou.

“A alegria, a paz, o movimento em direção ao arrependimento, a confissão – foi muito doce”, disse Baldwin. “E, desse ponto em diante, as pessoas simplesmente vieram e vieram.”

No fim de semana, a manifestação estava se espalhando pela imprensa local. Em pouco tempo, meios de comunicação nacionais estavam cobrindo o assunto, com milhares de pessoas chegando à pequena cidade de Wilmore, Kentucky, para ver os acontecimentos.

Baldwin e outros líderes do campus formaram uma equipe ministerial para auxiliar na promoção e supervisão dos eventos, à medida que estes continuavam a crescer.

“Foi como ser colocado em um barco salva-vidas e pensamos, ‘OK, estamos nisso juntos. Vamos pegar a onda… até que Deus pare de aparecer dessa forma’”, disse ela. “Tivemos esta experiência compartilhada onde vimos Jesus estar presente com nossos alunos e isso se tornou realmente um fio de prumo.”

O impacto restante

No final, a manifestação de Asbury foi encerrada quando os alunos e o campus voltaram à vida normal, mas as lições permaneceram.

“Quando as pessoas ouvem a história de como os estudantes permaneceram, como os estudantes foram levados ao arrependimento, como deram testemunho, como confessaram o pecado, como as pessoas se voltaram para o altar e se voltaram para Jesus – é como se as pessoas entrassem nisso”, disse ela. daqueles que ficam sabendo do que aconteceu. “É como um convite e as pessoas respondem a ele.”

Quanto a Baldwin, ela disse que a “grande expectativa das multidões” durante a manifestação é algo que permaneceu com ela.

“As pessoas estavam realmente desesperadas por Jesus”, disse ela.

Baldwin acredita que esse desespero é a razão pela qual tantos jovens hoje parecem estar buscando o Senhor e lutando com suas decisões para descobrir a verdade crua e autêntica.

“Encontramo-nos num momento tão desafiador no mundo e na história, e num momento sombrio em muitos aspectos”, disse ela. “E eu acho que esta é uma luz brilhante em um dia escuro e as pessoas são atraídas para a esperança de Jesus e atraídas para a cruz.”

E continuou: “É justo dizer que estamos a assistir ao desespero. As pessoas querem algo diferente e estão prontas para encontrar Jesus em um nível totalmente novo”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA FAITHWARE

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here