‘A Bíblia não pode mais ser ensinada’, lamenta bispo finlandês julgado por homofobia

0
164

O bispo Juhana Pohjola é acusado de ‘discurso de ódio’. (Foto: Missão Evangélica Luterana da Finlândia)

A sentença sobre o caso de ‘discurso de ódio’ envolvendo o bispo Juhana Pohjola e a parlamentar Päivi Räsänen deve sair em 30 de março.

Um bispo da igreja finlandesa, que está sendo julgado ao lado de uma parlamentar, diz que a Finlândia substituiu o cristianismo por uma nova religião estatal de “secularismo” – um sistema de crenças que impedirá que a Bíblia seja ensinada em público.

O bispo Juhana Pohjola é acusado de discurso de ódio por suas visões bíblicas, acusado de violar a dignidade e a igualdade da população LGBTQ. Ele disse recentemente que atribui a queda do cristianismo finlandês à mudança cultural que ocorreu nas sociedades ocidentais há mais de 50 anos.

Como o Faithwire relatou em janeiro, Pohjola, de 49 anos, um bispo da Diocese de Missão Evangélica Luterana da Finlândia (ELMDF), ofereceu publicamente declarações bíblicas sobre sexualidade e também publicou o livro da legisladora Päivi Räsänen, “Male and Female He Created Them: Homosexual Relationships Challenge the Christian Concept of Humanity” (ainda sem publicação em português).

A ELMDF, um corpo religioso composto por igrejas que se separaram da igreja nacional da Finlândia, a Igreja Evangélica Luterana da Finlândia, por questões doutrinárias, está sendo responsabilizada pelo livro, que foi publicado em 2004.

Pohjola é editor-chefe de publicações distribuídas pela Luther Foundation Finland — o grupo jurídico por trás do ELMDF. Ele foi acusado pelo Gabinete do Procurador-Geral da Finlândia de criar incitação contra um grupo de pessoas.

O julgamento deles começou em 24 de janeiro e seguiu até meados de fevereiro. O tribunal emitirá sua decisão em 30 de março, segundo o ELMDF publicou em seu site.

Herança cristã

Pohjola disse à Fox News que seu país tem uma longa tradição cristã desde a Idade Média: “A bandeira finlandesa tem uma cruz – como todos os países escandinavos – como um sinal de herança cristã comum”, disse ele. Mas a partir de 1970, houve uma mudança na maioria da igreja luterana que levou ao secularismo. 

“Revolução cultural e sexual, secularismo, ascensão do individualismo e crítica pós-moderna a todas as estruturas e conceitos de verdade”, disse o bispo. “Se anteriormente a maioria na igreja luterana estabelecida era ‘crer e pertencer’, ela mudou para ‘pertencer sem crer’ e agora está se movendo rapidamente para ‘não pertencer e não crer’”.

Durante as alegações finais, a equipe de defesa de Pohjola negou as acusações contra ele. Eles criticaram a promotoria por não apresentar fundamentos para suas acusações. Como os promotores não apresentaram as provas das acusações, isso deixou os réus com poucas oportunidades de se defender contra essas acusações, informou o site da diocese.

“A ideia principal do promotor parece ser que, em público, a própria compreensão da Bíblia não pode ser ensinada, e que a liberdade de religião não dá permissão para expressar em voz alta um ensinamento se for considerado uma discriminação contra um grupo minoritário. Portanto, de acordo com essa visão, os ensinamentos bíblicos sobre casamento, sexualidade, pecado e graça não poderiam, segundo a acusação, ser pregados em público. Este é um ataque à liberdade religiosa”, disse Pohjola.

Preocupações

Como Faithwire observou em janeiro, Pohjola disse ao Christianity Today que tem profundas preocupações sobre as implicações que os processos judiciais podem ter para indivíduos na Finlândia.

Em particular, o líder cristão está preocupado com a autocensura devido ao medo de ser processado.

“Não temo tanto o resultado do processo judicial, mas o forte sinal que dá a muitos: ficar em silêncio”, disse ele ao veículo. “Temo autocensura e intimidação.”

Pohjola disse que acredita na “dignidade, valor e direitos humanos dados por Deus daqueles que se identificam como homossexuais”, mas que também acredita na crença bíblica que atos do mesmo sexo são pecaminosos e não estão de acordo com a verdade.

Como a CBN News informou anteriormente, Räsänen, que está sob investigação desde 2019, recebeu três acusações de discurso de ódio e pode enfrentar dois anos de prisão. Um dos elementos que a colocou na mira é um tuíte de 17 de junho de 2019, no qual ela apresentou Romanos 1:24-27, que condena a homossexualidade como pecaminosa.

Räsänen disse à CBN News no ano passado que acredita que as acusações contra ela inevitavelmente falarão se uma pessoa na Finlândia é livre para expressar suas convicções bíblicas.

Ascensão do secularismo

Em um editorial para a Fox News no mês passado, o deputado americano Chip Roy (R-TX) e o presidente do Conselho de Pesquisa da Família, Tony Perkins, escreveram sobre o julgamento de Pohjola e Räsänen e o que a rápida ascensão do secularismo radical nos governos ocidentais pode significar para os americanos.

“Como política, Räsänen deve ter todo o direito de se envolver em debates sobre temas controversos sem enfrentar acusações criminais. E como ministro cristão, o bispo Pohjola deveria pelo menos ser livre para publicar um panfleto articulando uma cosmovisão bíblica sem a possibilidade de prisão – assim como todos os cidadãos, independentemente de sua vocação ou chamado na vida”, escreveram Roy e Perkins.

“Durante anos, muitos alertaram que os governos ocidentais foram superados pelo secularismo radical – guiado por um desdém pelo cristianismo – e que a ladeira escorregadia resultaria em pessoas de fé enfrentando julgamento por viver suas crenças em praça pública. Na Finlândia, a queda parou; esse dia chegou”, continuou o editorial.

Roy e Perkins, no entanto, alertaram que este não é apenas um problema finlandês para o povo finlandês, mas deve soar um alarme para todos os americanos.

“Os eventos na Finlândia devem servir como nove alarmes para aqueles que apreciam o próprio experimento político de liberdade ordenada que permitiu o florescimento dos Estados Unidos e da civilização ocidental. Os direitos básicos de liberdade religiosa e liberdade de expressão estão sob ataque em todo o mundo. Quando ataques tão flagrantes são direcionados a figuras de alto nível em uma democracia ocidental como a Finlândia, temos o dever de dar o alarme e sair em sua defesa”, escreveram.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO FAITHWIRE

Artigo anteriorCristãos na Ucrânia fazem culto em porão para escapar dos bombardeios
Próximo artigoIPB DE COARACI – 16 ANOS DE ORGANIZAÇÃO
Pastor Eli Vieira é casado com Maria Goretti e pai de Eli Neto. Responsável pelo site Agreste Presbiteriano, Bacharel em Teologia, Pós-Graduado em Missiologia pelo Seminário Presbiteriano do Norte, Recife-PE e cursando Psicologia na UNINASSAU. Exerce o seu ministério pastoral na Igreja Presbiteriana do Brasil desde o ano 1997 ajudando as pessoas a encontrarem esperança e salvação por meio de Jesus Cristo. Desde a sua infância serve ao Senhor, sendo educado por seus pais aos pés do Senhor Jesus que me libertou e salvou para sua honra e glória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here