Homens armados matam filho de pastor na Nigéria e levam esposa sequestrada

0
224

A população no país sofre com constantes ataques armados. (Foto: Unsplash/Joshua Onadipe)

A violência generalizada na Nigéria continua aumentando e o governo não consegue conter o número de casos na região.

O governo nigeriano continua sendo criticado por sua incapacidade de conter a crescente onda de assassinatos na região. Na última sexta-feira, homens armados atacaram uma aldeia no estado de Kaduna, Nigéria. No incidente, o filho de um pastor foi morto e sua esposa sequestrada, junto com outras três pessoas. 

A invasão ocorreu na comunidade Karimbu-Kahugu na área do governo local de Lere, no estado de Kaduna, informou o portal Daily Post da Nigéria, afirmando que a polícia não havia divulgado nenhuma declaração.

Segundo o jornal, o Oficial de Relações Públicas do Comando da Polícia do Estado de Kaduna, DSC Mohammed Jalige, recusou-se a comentar o incidente.

De acordo com o Christian Post, o assassinato e os sequestros foram confirmados pelo vice-presidente das Associações de Desenvolvimento Nacional de Kahugu, Peter Mukaddas.

Peter afirmou que os bandidos foram direto para a casa do pastor durante o ataque e atiraram em seu filho quando ele resistiu. Em seguida levaram sua esposa e outras três pessoas como reféns.

“Estamos apelando ao governo e às agências de segurança para que entrem em ação o mais rápido possível para garantir que nossos entes queridos sejam resgatados com vida. Estamos orando fervorosamente a Deus para tocar seus corações para que sejam libertos”, disse Peter.

Problemas com a segurança pública

Os ataques criminosos têm sido um problema recorrente na região norte da Nigéria, com invasões a comunidades rurais, escolas e outros locais públicos.

Cristãos sofrem há anos com as decadentes condições de liberdade religiosa no país em meio à ascensão de grupos terroristas como o Boko Haram e o Estado Islâmico no nordeste. 

A violência contra comunidades predominantemente cristãs cometida por pastores radicais nos estados do Middle Belt, ricos em agricultura, também aumentou. Enquanto isso, a população afirma que o governo não está fazendo o suficiente para conter a violência local.

O Departamento de Estado dos EUA confirmou no mês passado a decisão de remover a Nigéria da lista de países de preocupação particular por violações da liberdade religiosa, pois segundo eles, o país não atingiu o limite legal para designação sob a Lei Internacional de Liberdade Religiosa.

No entanto, o Departamento de Estado afirma que continua preocupado com a situação da liberdade religiosa na Nigéria e continuará pressionando o governo para resolver a “violência generalizada” na Nigéria.

Em junho de 2022, o Departamento de Estado dos EUA divulgou um relatório de liberdade religiosa referente a 2021 e observou: “De acordo com o rastreador de segurança da Nigéria mantido pelo Conselho de Relações Exteriores, houve cerca de 10.399 mortes por conflitos violentos durante o ano, em comparação com 9.694 em 2020”.

O ministério Portas Abertas, informou que a Nigéria ocupa o 6º lugar na lista de observação mundial de 2023 entre os 50 países que mais sofrem com a perseguição cristã. A missão informou que em 2022, 5.014 cristãos foram mortos por sua fé e 4.726 foram sequestrados no país.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

RETIRO IP SEMEAR 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here