O QUE É CAPELANIA HOSPITALAR?

0
63

O ministério de Capelania Hospitalar consiste na assistência espiritual diária e voluntária aos enfermos, hospitalizados ou não, mediante a aplicação do conforto da Palavra de Deus, sem preconceito de raça, cor ou religião.O atendimento da Capelania é diário, oferecido ao paciente internado, em ambulatório e em hospital e também aos seus familiares. O serviço é estendido aos profissionais da saúde e funcionários que o desejarem…

ACS – Associação de Capelania na Saúde

Quem somos

Fazemos o trabalho no hospital com todo o coração, pois é para o Senhor. Por esta mesma razão esse trabalho precisa ser realizado com competência. Fazer com competência significa que é necessário um treinamento que realmente prepare o servo ou serva de Deus para que atue em um campo missionário totalmente distinto: o hospital.

Quem somos

Missão

Saúde: Colaborar com a humanização da assistência hospitalar através do conforto, restauração da alma, esperança e fortalecimento espiritual aos enfermos, seus cuidadores familiares e profissionais da saúde, propiciando melhor relacionamento proficissional­ paciente, alívio do estresse, aderência ao tratamento médico, satisfação do atendimento, resiliência e qualidade de vida. Educação: Prover capacitação de excelência para a formação de visitadores e capelães hospitalares. Para isto, promovemos treinamentos para a assistência à pessoas em crise nas Igrejas; oferecemos cursos para sensibilização emocional, espiritual e humanização da assistência para a área da saúde; colaboramos na organização de capelanias em hospitais; prestamos consultoria para aprimoramento de capelanias hospitalares e produzimos literatura para o conforto emocional e espiritual.

Missão

Visão

Ser um instrumento de Deus em missões urbanas para o cumprimento do ministério da reconciliação e assim colaborar com a transformação da sociedade através do conforto e esperança em meio ao sofrimento, da excelência na capacitação no cuidado da alma, proporcionando bem-estar e sentido de vida através do relacionamento restaurador com Deus em meio às crises.

Visão

O que fazemos

Somos uma Instituição com fins religiosos, beneficente e cultural.
Nos dedicamos ao exercício do ministério de Assistência Espiritual aos Enfermos e à formação, congregação e desenvolvimento de capelanias hospitalares evangélicas no país e no exterior.
Procuramos promover a integração, instrução e a reciclagem de Capelanias Evangélicas que exerçam ou venham a exercer o ministério sob os mesmos princípios de conduta e fé que regem a ACS;
Procuramos supervisionar o exercício do ministério de Capelania Hospitalar preservando a integridade dos princípios pelos quais se pautam a ACS;
Realizamos convênios com instituições médicas e hospitalares, para ordenada e organizadamente exercer o Ministério de Capelania Hospitalar;
Capacitamos, treinamos, formamos, orientamos e credenciamos visitadores, capelães e Capelanias Hospitalares Evangélicas locais;
Indicamos aos hospitais e capelanias capelães e visitadores devidamente treinados e capacitados pela ACS;
Continuamente examinamos e revisamos a metodologia desenvolvida para o exercício do Ministério de Capelania, preservando os princípios de conduta e fé que regem a ACS;
Promovemos cursos, seminários e congressos;
Editamos, publicamos e distribuímos livros, revistas, periódicos e materiais audiovisuais relacionados com seus objetivos;
Procuramos cooperar na humanização dos hospitais mediante aulas e seminários aos profissionais e estudantes da área de saúde;
Aconselhamos profissionais da área de saúde e oferecemos conforto e apoio espiritual;
Promovemos o amparo e a assistência social aos pacientes carentes e seus familiares e aos funcionários das instituições de saúde;
Cooperamos com órgãos civis e governamentais nos programas de assistência social, estimulando a prática e o exercício do voluntariado.

gavin e elenyA nossa história se “confunde” com a história da Eleny Vassão e seu ministério…

Veja como ela relata a descoberta da importância da Capelania Hospitalar, seu chamado, preparo e experiência:

Certa vez, como por um milagre, o corredor do pronto-socorro estava silencioso naquela manhã. Eu conversava calmamente com um homem franzino que, deitado em sua estreita e fria maca e, diante do diagnóstico de câncer em estado avançado, passou a reavaliar seu passado, descobrindo em tudo uma “mesmice”, um “correr atrás do vento”, um enorme vazio. Esta descoberta lhe trouxe uma dor extra. Agora não era só a dor do câncer, mas também, uma profunda dor na alma, até então encoberta.

Esta é a realidade que encontramos diariamente nos hospitais, ao lidarmos com pessoas em crise emocional e espiritual diante de um diagnóstico ruim, um acidente inesperado, que acabam por revelar a fragilidade de suas vidas e a incerteza do amanhã. Sem um relacionamento profundo com Deus, que lhes dê razão para viver e forças para enfrentar a morte, se encontram solitários, inseguros e amedrontados.

Caminhei pensativamente por aquele corredor semi-vazio. Pensava em minha própria vida e em quanto tempo  caria apegada à minha religiosidade, sem descobrir que por si só ela não levaria a nada. Eu precisava de um encontro pessoal com Jesus, e este aconteceu na minha adolescência.

Aos quatorze anos de idade, comecei a participar dos cultos mensais que a mocidade da minha igreja realizava no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo. Aquele “cheiro de hospital” fazia com que me sentisse bem, e minha vontade era  ficar trabalhando naquele local, pois meu sonho sempre fora o de estudar medicina e estar junto aos aflitos.

Ouvir falar em Capelania Hospitalar levou-me a buscar informações e, em seguida, a preparar-me através de um curso de Capelania Hospitalar oferecido no próprio Hospital das Clínicas de São Paulo pelo então capelão, Pr. Marcos Petriaggi.

Estudei teologia no Seminário Bíblico Palavra da Vida, fazendo depois o mestrado em Aconselhamento Bíblico, para lidar com casos complexos. Hoje, como capelã-missionária pelo Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil, tenho contado com todo o apoio da IPB e pudemos expandir este ministério.

A partir das experiências apreendidas no decorrer dos anos e dos cursos de Capelania que oferecemos, temos tido o privilégio de equipar pessoas de todas as partes do país, capacitando, entre visitadores e capelães hospitalares, cerca de 6.000 pessoas nestes 26 anos de ministério.

Tendo iniciado pela Capelania do HCFMUSP em 1983, hoje trabalhamos também com duas associações que criamos, a ACEH (Associação de Capelania Evangélica Hospitalar) e o IBA (Instituto Beneficente Aconchego).

Fonte: ACS ( Associação de Capelania na Saúde)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here