HEBRON, Uma Indústria Farmacêutica do Nordeste Brasileiro

0
206
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é image-6.png

Sobre a Hebron

Os produtos Hebron estão presentes em todo o território nacional. Atuamos com mais de 200 propagandistas e visitamos mensalmente cerca de 60 mil médicos em diversas especialidades, tais como Pediatria, Clínica Médica, Gastroenterologia, Ginecologia/Obstetrícia, Neurologia, Fisiatria e Fisioterapia.

Além da atuação nacional, ao longo da nossa história exportamos e mantivemos relações comerciais e institucionais com diversos países como EUA, Canadá , México, Peru, Equador, Chile, Venezuela, Paraguai, Colômbia, Portugal, Moçambique, Angola e África do Sul.

A busca constante pela valorização da pesquisa e da biodiversidade na produção de seus medicamentos garante à Hebron permanente parceria com universidades espalhadas pelos quatro cantos do país, como as Universidades Federais de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba, e com a Universidade Presbiteriana Mackenzie e as Universidades Estaduais de São Paulo (USP), Campinas (UNICAMP) e Pernambuco (UPE).

Fora do Brasil, a Hebron desenvolveu projetos na Inglaterra, na Universidade de Farmácia do Porto (Portugal), manteve contato com um dos maiores centros de pesquisa fitoquímica do mundo, em Lausanne (Suíça), e parceria com a University of Vermont (EUA), com a Albany Medical College (EUA) e com a Universidad de León (Espanha).

O compromisso com o desenvolvimento e o aprimoramento da qualidade dos produtos e serviços da Hebron é gerido por uma rigorosa Política de Qualidade adotada em todos os setores. As ações envolvem desde a padronização dos processos ao comprometimento e a capacitação dos colaboradores.

Atividades Hebron

Desenvolvimento de processos analíticos, pesquisas clínicas, biológicas, químicas e fitoterápicas, produção de matérias primas, de produtos farmacêuticos, de cosméticos e alimentos funcionais.

HISTÓRIA

CONHECENDO O FUNDADOR

Dr. Josimar Henrique

 Era o ano de 1950, em um engenho localizado a 30 quilômetros de Palmares, zona da mata sul do Estado de Pernambuco. Lá viviam o Sr. Antônio Henrique e Sra. Ericina. Ele um pequeno comerciante que atuava na famosa feira de Caruaru e ela uma dona de casa. Nesse contexto, nasce o primogênito do casal – Josimar Henrique. Mesmo sem muitas perspectivas de mobilidade social devido à condição financeira da sua família, o menino parecia não se contentar com o que a vida queria lhe oferecer.

Josimar nasceu visionário, como uma daquelas pessoas que nasce com uma estrela! Desde menino aprendeu a dividir o tempo entre o trabalho e o estudo. Cresceu fazendo isso. Muito jovem, começou a trabalhar ajudando o pai e aos 14 anos, passou a trabalhar como balconista em uma loja de tecidos. Pouco tempo depois, foi contratado para trabalhar como contínuo na Rádio Liberdade de Caruaru. Josimar saiu da rádio e se tornou auxiliar de escritório de contabilidade, tomando gosto pela profissão de contador. Após essa experiência, foi contratado para trabalhar no Banco Nacional do Norte (BANORTE).

Aos 21 anos, a sua vida tomou outro rumo: Josimar pediu demissão do banco! Os seus pais, que estavam orgulhosos da trajetória que o filho estava percorrendo, ficaram preocupados, pois pareciam ter “encaminhado” Josimar e ele havia decidido sair do emprego. O Sr. Antonio Henrique dizia à esposa: “mas, o que houve com esse menino Ericina? Saiu de um emprego tão bom?”.

Logo após ter deixado o banco, Josimar foi passar dois meses de férias, conhecendo as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Quando retornou de viagem, foi morar no Recife, encontrando rapidamente uma nova colocação, desta feita no Aché Laboratório S.A., onde iniciou uma longa trajetória no ramo de venda de medicamentos. Atuou como propagandista, supervisor, gerente regional, e gerente nacional, fazendo uma sólida carreira nessa empresa. Passou a conhecer de perto todo o processo produtivo de um laboratório farmacêutico, desde a produção dos medicamentos até a venda dos produtos para o mercado. Em entrevista para a PRONEWS, relembra: “O que eu pretendia era seguir uma carreira promissora e fiz tudo com base numa visão de futuro, através do meu esforço para ser independente”.

Ainda trabalhando para o Aché, Josimar viajou por todo o país adquirindo mais experiência na área farmacêutica. Em São Paulo, recebeu a missão de estruturar um novo laboratório de origem italiana que o Aché havia comprado, o Laboratório Novoterápica, passando a administrar a situação externa do laboratório e a acompanhar todo o processo industrial farmacêutico. Nessa época, Josimar estabeleceu um maior contato com professores, pesquisadores e universidades, descobrindo o potencial de pesquisa e matéria-prima disponíveis do Brasil. Em seguida, fazendo jus ao seu espírito empreendedor, Josimar assumiu a Direção Nacional de Vendas da Novoterápica e volta a Pernambuco com a nova missão de reestruturar a Regional Norte/Nordeste das duas empresas, Aché e Novoterápica. É nesse momento da sua vida, já com experiência de 11 anos no ramo de medicamentos, que ele, mais uma vez, pede demissão e, dessa vez, para abrir seu próprio negócio.

UM PRESBITERIANO ATUANTE

O Dr. Josimar Henrique era um homem presbiteriano atuante. O presbítero e empresário Josimar Henrique morreu de leucemia sexta-feira dia 2 de novembro de 2018, no Recife aos 68 anos. O velório aconteceu no sábado (3), às 9h, na Primeira Igreja Presbiteriana do Recife, no bairro das Graças, na Zona Norte da capital pernambucana. O seu enterro ocorreu ao meio-dia do sábado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. Josimar Henrique da Silva, era natural de Palmares PE. Casado com Giseli de Matos Henrique, Três filhos e dez netos. Graduado em Marketing e Propaganda pela Escola de Marketing de Pernambuco.

Primeira Igreja Presbiteriana do Recife | Home
Primeira IP do Recefe-PE

Presbítero há seis mandatos pela Primeira Igreja Presbiteriana do Recife. Últimos cargos ocupados na Igreja: Presidência do Sínodo de Pernambuco, Membro em dois mandatos do Conselho de Curadores do Instituto Presbiteriano Mackenzie. No serviço público, foi Secretário de Desenvolvimento Econômico de Caruaru, no governo de Tony Gel. Na vida empresarial foi Presidente da Federação Brasileira das Indústrias Farmacêuticas e Presidente do Grupo FarmaBrasil – Associação Brasileiras da Indústrias de Pesquisa. Também foi Fundador e Diretor Presidente do grupo Empresarial Hebron Farmacêutica.

O senhor Josimar Henrique fundador da Hebrom Industria Farmacêutica de Caruaru-PE, era acima de tudo um servo de Deus, que muito contribuiu com a obra do Senhor. Como membro da Primeira Igreja Presbiteriana do Recife (IPB) cooperou muito com obra do Senhor, foi um grande coopedador do Seminário Presbiterina do Norte, Recife-PE, foi o mantenedor de vários seminaristas no SPN, contribuiu na construção de novos templos no Nordeste, etc.

O INÍCIO DA HEBRON®

Com poucos recursos financeiros e muita vontade de vencer, Josimar resolveu investir os poucos recursos que possuía em uma área que ele conhecia bem. Como não tinha dinheiro para abrir um laboratório, decidiu abrir uma distribuidora de medicamentos. O ano era 1982. Mesmo para uma distribuidora os recursos do Josimar não eram suficientes. Então, como ele conseguiria transformar o sonho em realidade? Isso aconteceu quando, juntamente com três amigos formou a sociedade que financiou o início da Hebron®. A sociedade não durou muito tempo e Josimar assumiu o controle da distribuidora. O sonho não se encerraria na distribuidora, porque o seu objetivo era maior. Na verdade, ele queria utilizar a matéria-prima nacional e aproveitar o trabalho de pesquisa e desenvolvimento de produtos dos cientistas e das universidades brasileiras para a produção de medicamentos.

Para viabilizar o sonho, Josimar se sacrificava e todo o lucro da distribuidora era aplicado para tornar possível a construção do laboratório. Os recursos eram insuficientes e Josimar necessitava de um maior aporte financeiro. Onde consegui-lo?

A princípio, ele decide ir à busca de financiamento nos bancos da região. Em muitos desses bancos, a situação era a mesma, ou seja, após a explicação sobre o projeto para o gerente do banco, ouvia sempre a mesma resposta: Não! Um desses gerentes chegou a dizer para Josimar, após vasta explanação do projeto: “Você vai produzir medicamentos no interior de Pernambuco e concorrer com multinacionais? Isso é loucura!”. Assim, os bancos da região lhe negaram ajuda financeira, pois consideravam o projeto como muito ousado.

Sem o apoio dos bancos e sem os sócios, Josimar, precisava encontrar uma saída para que o seu sonho não morresse. Mas, como? Decidiu consultar a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) em busca do apoio ao seu projeto. Lá, ele conheceu o Superintendente do órgão, o Sr. Marlos Duarte. Josimar faz um tremendo esforço para apresentar, da melhor maneira possível e da forma mais convincente o seu projeto, pois ele estava agarrando-se a esta chance, que pensava ser a última. Por sorte, ou por ser tão visionário quanto o próprio Josimar, o Superintendente resolver apostar no projeto do laboratório. Lembra Josimar: “Foi ele quem ouviu a minha história e me ajudou a erguer a Hebron®.” E assim, com a conquista do apoio da SUDENE, que chega a financiar 80% do empreendimento, o sonho começa a ser construído.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Hebron.png
Indústria Farmacêutica Hebron, Caruaru-PE

Apesar da sociedade encerrada, e sem o apoio do sistema de financiamento bancário, a construção do laboratório é iniciada em Junho de 1985, durou quatro anos (1985-1989) e, em janeiro de 1990 começa a funcionar o Laboratório Farmacêutico Hebron® na cidade de Caruaru – PE com a missão de “pesquisar, desenvolver, produzir, promover e comercializar produtos para a saúde e o bem estar” (HEBRON, 2013).

AS DIFICULDADES

Para implantar qualquer organização, as dificuldades são muitas e, com a Hebron® não foi diferente, principalmente considerando aquelas específicas da área.

A primeira grande dificuldade foi a falta de recursos do sistema financeiro. Os aportes financeiros são importantes para que a empresa não precise utilizar o seu capital de giro, para montar uma fábrica e uma linha de montagem nova. para a Hebron® essas dificuldades foram inevitáveis, inclusive, pelo sentido inusitado do seu projeto.

A segunda grande dificuldade foi a de enfrentar a concorrência de grandes laboratórios multinacionais já conhecidos, que possuíam um trabalho de marketing muito bem elaborado e com uma grande força promocional e convencer a classe médica a prescrever os seus produtos. O Sr. Avaniel Marinho, que trabalhava na Hebron® desde o nascedouro, e atua hoje como Diretor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, diz que, no princípio, foi necessário realizar um trabalho pontual com médicos e farmácias. “Um trabalho de formiguinha”, diz ele. Ele relatou como isso acontecia: “Nós tínhamos que visitar os médicos, criar um canal de distribuição, fazer os produtos chegarem ao ponto de venda (farmácias), convencer os médicos a prescreverem e, a partir daí, gerar receituário, conquistando a confiança da classe médica para os nossos produtos”.

Para conseguir a confiabilidade por parte dos médicos em relação aos medicamentos, foi necessário apresentar resultados de pesquisas de algumas universidades e institutos de pesquisa com as quais a Hebron® começou a interagir logo no início das suas operações, pois, o Brasil, na década de 90, já contava com um parque industrial farmacêutico expressivo, mas, os centros de tecnologia e de pesquisa estavam restritos ao mundo acadêmico. Era comum na segunda ou terceira visita do propagandista ao médico este último perguntar: “Rapaz. Quer dizer que esse negócio é pra valer mesmo?” Assim, a Hebron® começa a investir nas pesquisas de fitoterápicos e de produtos biotecnológicos, levando ao médico a chancela da pesquisa realizada na universidade, comprovando que era possível um laboratório nacional desenvolver pesquisas e aproveitar a pesquisa realizada no país. Essa ação trouxe efeitos imediatos, pois Josimar foi, mais uma vez, um visionário à frente da Hebron® quando tornou possível registrar e comercializar o primeiro fitoterápico do Brasil: O Giamebil. Medicamento indicado para o tratamento das infestações Giardíase e Amebíase, causadas pela Giárdia Lamblia e pela Entamoeba Histolítica.

Sem as parceiras com as universidades e os centros de pesquisa seria impossível o efetivo funcionamento do laboratório e a concretização do sonho do Josimar, já, que, o desenvolvimento de pesquisa no Brasil é muito caro para ser realizado por uma empresa de pequeno porte. Daí surge a terceira grande dificuldade da empresa: Estabelecer parcerias com as universidades públicas – federais e estaduais – e os institutos de pesquisa. É fato, que existe uma dificuldade na relação entre a academia e o setor produtivo – a iniciativa privada. O pesquisador, o professor e o acadêmico produzem ciência, mas existe uma divergência muito grande entre pesquisa e pesquisa aplicada. Então, essa relação da universidade com a iniciativa privada é complexa. A universidade tem um bem público e esse bem vai se transformar em um bem da iniciativa privada, sendo explorado economicamente.

Assim, há todo um trabalho de aproximação por parte da Hebron® em relação aos pesquisadores e realizam-se, para o funcionamento dessas parcerias, contratos de prestação de serviço, previstos em lei, sendo pagos royalties à universidade responsável pela pesquisa daquele medicamento que será possivelmente comercializado. O papel da Hebron® é buscar convencer o pesquisador, geralmente vinculado a uma universidade ou centro de pesquisa, a ceder a sua pesquisa para o laboratório, antes que os resultados da mesma sejam divulgados. O pesquisador tem necessidade de publicar a sua pesquisa em função de exigências de produtividade por parte dos órgãos de fomento e também do ponto de vista curricular, a fim de se manterem vinculados a programas de pós-graduação, mas por outro lado, à partir da publicação a empresa perde, porque a propriedade intelectual é perdida.

Especialmente nos últimos 10 anos, os próprios pesquisadores estão depositando pedidos de patentes dessas pesquisas e isso, também, é um fator complicador e que, de certa forma, dificulta essa relação, uma vez que a universidade detém essa patente e a empresa passa a não ter interesse nessa pesquisa. Com essa patente depositada em nome do pesquisador e da universidade e sem o relacionamento com a indústria, o produto pesquisado não vai chegar ao mercado. Houve depósito de patente com a intenção de a própria universidade negociar, mas, existe complicação em função de ser um órgão público e depender de edital e de uma série de questões burocráticas, para a efetiva concretização da relação universidade x mercado.

O CRESCIMENTO DA HEBRON®

Hebron

A empresa, desde a sua fundação, teve como proposta produzir medicamentos de prescrição médica, não desconsiderando o outro lado do mercado, aquele de produtos de marketing direto. Essa postura de atuar no segmento de prescrição médica dá aos produtos uma característica de pesquisa de cunho técnico científico, sendo considerados como produtos inovadores. São produtos que possuem, em sua maioria, artigos de pesquisas empíricas publicadas, tanto na parte pré-clínica quanto na parte clínica e essa interface com os centros de pesquisa e algumas universidades deu aos produtos da empresa uma chancela de qualidade reconhecida pela classe médica. Possivelmente, essa característica foi a que mais contribuiu para o sucesso do negócio.

 Josimar conta com a sua família na gestão da empresa. Além dele, que atua como presidente atua no quadro estratégico da empresa, o seu cunhado, Sr. Avaniel Marinho, no cargo de Diretor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, seus filhos Josimar Junior, Bruno Henrique e Wedja Henrique, que ocupam os cargos de Diretor Financeiro, Diretor Industrial e Diretora de Marketing, respectivamente, além dos genros Guilherme Pires e Fernanda Newman, Diretores de Recursos Humanos e Treinamento e Diretora Administrativa. Os irmãos Joás Henrique e Josias Henrique, ocupam os cargos de Diretor Superintendente e Diretor Comercial completando o quadro tipicamente familiar de gestão.

Dr. Márcio Gueiros, que ocupa a diretoria médica. É o único diretor sem laços familiares.
Avaniel Marinho, cunhado do presidente, também começou no Hebron como propagandista, passou pelo marketing e hoje atua como diretor de pesquisa e inovação.
Guilherme Pires, genro do presidente e Josias Henrique, irmão de Josimar
Bruno henrique, filho caçula de Josimar
Josimar Junior e sua esposa Fernanda
Cabe ao irmão Joás Henrique, engenheiro, a gestão das questões estratégicas, jurídicas e contábeis. Ele é o diretor-superintendente.

 Como homem de visão, Josimar soube aproveitar o potencial de pesquisa para o desenvolvimento de medicamentos em escala comercial em seu laboratório e, para isso, de acordo com o site da empresa, possui parcerias com universidades e centros de pesquisa espalhados pelo Brasil e pelo mundo. No Brasil, o laboratório possui parcerias com as Universidades Federais de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba e com as Universidades Estaduais de São Paulo (USP), Campinas (UNICAMP), e Pernambuco (UPE). Fora do Brasil desenvolve projetos na Inglaterra, mantém estreita relação com a Universidade de Farmácia do Porto e já manteve contato com um dos maiores centros de pesquisa fitoquímica do mundo em Lousanne (Suíça) (HEBRON, 2013).

Todos os meses, mais de 38.000 médicos são visitados pelos propagandistas da empresa. Eles conseguem chegar a um número superior a 1.600 cidades do país. Os medicamentos estão disponíveis em cerca de 4.000 municípios brasileiros. O laboratório também atua no mercado externo e mantém parceiras com os EUA, México, Cuba, Peru, Chile, Equador, Colômbia, Moçambique, Nigéria, África do Sul, Portugal e Áustria. A Hebron® possui 100 tipos de medicamentos em 13 especialidades médicas passando pela Pediatria, Clínica médica, Ginecologia, Cardiologia, entre outras.

A Hebron® possui diversas atividades, desde o desenvolvimentos de processos analíticos, pesquisas clínicas, biológicas, químicas e fitoterápicas até a produção de matéria prima, de produtos farmacêuticos e alimentos funcionais. A empresa apresenta uma política rigorosa de desenvolvimento e aprimoramento da qualidade dos produtos e serviços, adotada em todos os setores da empresa. As ações envolvem desde a padronização dos processos, até o comprometimento e a capacitação dos colaboradores.

A internacionalização

Hebron: Da flora brasileira para o mundo - Inspiração Pernambuco - Folha PE
Logomarca

A Alanac integra a Associação Latino-Americana de Indústrias Farmacêuticas (Alifar), composta por 16 países, que se reúnem anualmente em um dos países participantes. Assim, através dos contatos com membros da associação a partir de 2004, a Hebron decidiu entrar no Peru, pelo fato de o país integrar o Pacto Andino (Peru, Venezuela, Colômbia, Equador e Brasil), que permite que o registro sanitário dos integrantes seja válido entre eles. A operação peruana está baseada na remessa de produtos para os hospitais.

Seguindo a Rota Andina, até dezembro a operação começará a funcionar na Colômbia em parceria com o Laboratório Metlen Farma, que atuará como distribuidor e promoverá propaganda médica exclusiva. O interesse pelos Estados Unidos surgiu das visitas anuais de Josimar Henrique àquele país. Lá observou que é enorme a quantidade de medicamentos que não precisam de prescrição médica vendidos em supermercados e lojas de conveniência, os chamados OTCs.

Identificou também que, a exemplo do Brasil no passado, os EUA não reconhecem os produtos fitoterápicos como medicamentos, o que significa que o nível de exigência da US Food and Drug Administration (FDA) para o registro é infinitamente menor que no Brasil. Em seguida, procurou o escritório do agente que atua elaborando estudos de produtos para a FDA em Nova Iorque e contratou a elaboração de 16 dossiês, um para cada produto que colocará no mercado, onde deve começar a operar em março de 2009.

Para Josimar, a investida em solo americano pode representar um salto para a Hebron Farmacêutica, que hoje alcança quatro mil cidades brasileiras. “O mercado brasileiro consome US$ 12 bilhões, enquanto o americano chega a US$ 220 bilhões. Se acertarmos com um produto, podemos vender mais que no Brasil” , calcula ele, prevendo que daqui a três anos 20% do faturamento deverá vir das exportações.

A empresa conta com um Departamento de Comércio Exterior, encarregado de identificar oportunidades internacionais para os produtos fabricados, e deverá também em 2009 chegar ao mercado russo, visitado em 2006. Lá o maior impedimento é a enorme variação de temperatura, que pode chegar a 40º negativos.

Hoje a Hebron continua sob a direção da família e tem como presidente Josimar Henrique Júnior contina e continua com a mesma visão do seu fundador.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é josimar-jazzz20200327221407.jpg
“Queremos desenvolver produtos que façam parte de todas as fases da vida das pessoas. Essa será nossa bandeira por mais 25, 30, 50 e tantos outros anos que virão”, afirma Josimar Henrique Júnior, presidente da Hebron.

PRODUTOS DA HEBRON

A Hebron® possui vários tipos de medicamentos em 13 especialidades médicas passando pela Pediatria, Clínica médica, Ginecologia, Cardiologia, entre outras.

Acreditar no Brasil faz bem à saúde

Apostar na educação e na cidadania como meios de garantir uma sociedade mais justa e com dignidade para acreditar no seu próprio potencial. Conscientes de nossa responsabilidade, firmamos parcerias, mantendo diversas entidades assistenciais que trabalham para melhorar a qualidade de vida de grupos e comunidades em diversas

Certo

A Certo é uma instituição que auxilia pessoas com deficiência física congênita ou decorrente de acidentes. As ações da ONG facilitam o cotidiano das pessoas com necessidades especiais, proporcionando mais qualidade de vida e integrando-as à sociedade com autonomia e dignidade.

Projeto Amanajé

O Projeto Amanajé presta auxílio aos índios da Amazônia, realizando projetos de educação na língua materna para várias etnias. A entidade trabalha também no desenvolvimento de programas de valorização da cultura indígena com fomentação de artesanato e educação intercultural bilíngue (línguas maternas e português).

Projeto Aurora

O Projeto Aurora incentiva o empreendedorismo e protagonismo de crianças, adolescentes e jovens de comunidades consideradas vulneráveis socialmente, através do basquete, lazer, eventos e competições oficiais, dando a elas escolhas de caminhos diferentes da marginalidade, exclusão e situações de risco.

Grupo Hebron “não para” e fecha patrocínio com alguns clubes de Futebol

A empresa que atua na indústria farmacêutica também fechou acordos com alguns de times de futebal, como:Fortaleza, Bahia, Goiás, Remo, Santos e Vasco

Bahia fecha parceria com Indústria Farmacêutica até dezembro de 2022
Fortaleza fecha patrocínio com Grupo Hebron para as costas da camisa
Hebron é a nova patrocinadora do Santos - MKT Esportivo
Grupo Hebron terá logomarca exposta dos dois lados da região da clavícula da camisa do Vasco - Daniel Ramalho / Vasco
Grupo Hebron terá logomarca exposta dos dois lados da região da clavícula da camisa do Vasco – Daniel Ramalho / Vasco

O Vasco anunciou, nesta sexta-feira (13), um acordo de patrocínio com o Grupo Hebron, que atua na indústria farmacêutica. O acerto ocorre dias depois da empresa ter assinado com o Santos e poucas semanas após ter fechado contratos com Fortaleza e Goiás. O objetivo é usar o futebol para ganhar visibilidade em escala nacional.

Assim como no caso do Santos, o acordo com o Vasco contou com intermediação da BP Sports e foi assinado por um ano. A logomarca do Grupo Hebron ficará exposta dos dois lados da região da clavícula da camisa cruz-maltina.

“Nossa trajetória é marcada pela presença e incentivo ao cenário esportivo, com histórico de apoio a modalidades como automobilismo e atletismo. Hoje, nossa atuação é focada também no futebol e é uma das formas de traduzir e impulsionar uma das maiores paixões do Brasil. O Gigante da Colina, detém uma das maiores torcidas do Brasil, dono de grandes títulos, é um clube mundialmente famoso. Associar nossa marca a um clube forte e aguerrido no futebol brasileiro é algo incomparável. Por outro lado, somos uma indústria já bastante conhecida na classe médica, mas queremos ampliar a visibilidade do público em geral. Cremos que teremos um grande recall de marca”, destacou Josimar Henrique Júnior, presidente e CEO do Grupo Hebron.

“O Vasco é uma instituição centenária e vitoriosa, que sempre teve como destaque a paixão contagiante de seu torcedor, e a Hebron vem ganhando cada vez mais destaque no cenário nacional. É uma parceria que certamente vai aproximar a marca do torcedor cruz-maltino”, afirmou Bernardo Pontes, sócio da BP Sports e colunista da Máquina do Esporte.

Redação – São Paulo (SP) Publicado em 14/05/2022, às 12h10

Fontes: O Site da Hebron; O trabalho de Autoria de Ana Carolina Kruta de Araújo Bispo, Anielson Barbosa da Silva, publicado em 2013; Site Máquina do Esporte e Revista Negócios PE https://www.revistanegociospe.com.br/materia/De-Pernambuco-para-o-mundo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here